Wednesday, April 19, 2017

Esta coisa de sobrenome

Eu já falei sobre este mesmo assunto quando me casei e sobre a minha opção em acrescentar o sobrenome do meu marido ao meu sobrenome. Eu já perdi as contas de quantas vezes me perguntam se ter três sobrenomes atrapalham, minha resposta é sempre a mesma: não. Vou fazer um "recap" aqui sobre sobrenomes na minha vida :-)

Sobrenome, para mim, é mais do que sobrenome. Os nomes após o meu primeiro nome também representam minha cultura, minha família, minhas raízes. Quero ressaltar isso milhões de vezes, este valor do sobrenome é um valor que eu atribuo. Não existe certo ou errado na hora da escolha do sobrenome. Existe a sua vontade individual, os valores que você atribui; os seus motivos para sua escolha. A escolha do nosso sobrenome não altera a vida de ninguém, apenas a sua. Eu escolhi ter três sobrenomes sem hífen em um país que normalmente as pessoa tem apenas um sobrenome. Não, eu não fiz algum sobrenome meu virar nome do meio, eu tenho oficialmente 3 sobrenomes. Meus sobrenomes nem são bonitos ou diferentes rsrs eles são inifinitamente comuns no Brasil, mas são meus e para mim representam minha história, por isso tenho os três. Tenho problemas por conta deles? Acho que problema também é algo relativo né? Por exemplo, para mim foi super mega tranquilo mudar meu nome em todos meu documentos; para mim é super mega tranquilo quando as pessoas ficam confusas e não sabem do que me chamar e me chamam pelo primeiro nome com a pronúncia errada rsrsrs Para mim, é exatamente o contrário de problema; meu sobrenome quebra gelo e é tópico de conversas super interessantes entre amigos :-) Em 6 anos morando nos EUA com três sobrenomes, eu tive apenas dois encontros "problemáticos" por assim dizer:

1. Quando fui mudar meu nome no Social Security Card (meio que um parente em função comparado com o CPF) a senhora que me atendeu foi meio grossa e me sugeriu mudar meu nome pois não cabia tudo no papel. Me recusei e no meu SSC faltam duas letras do meu nome. Isso me trouxe algum problema real? Nenhum, pois no sistema do SS consta meu nome completo e quando as pessoas pedem seu SS eles pedem o número e não o cartão.

2. Uma única vez, um agente de segurança no aeroporto não queria me deixar passar pela segurança porque faltavam 3 letras do meu nome no meu cartão de embarque. Voltei no balcão da Delta e a funcionária ficou puta e reclamou que os agentes novos queriam mostrar serviço e faziam umas merdas absurdas. Ela então, foi comigo até a área de segurança para discutir com o agente caso ele não deixasse eu passar. Na segunda tentativa foi outro agente que verificava documentos e este me deixou passar sem nenhum problema.

Acho que em 6 anos, só ter estes dois eventos não torna meu nome nem um pouco problemático, né?

Depois da pergunta sobre meu sobrenome atrapalhar, a pergunta que mais escuto é como ficou o nome do Pandinha?

Então agora vem a fase dois e o fato deste post "repetido" sobre sobrenome.

Muito antes da gravidez, marido e eu já conversavámos sobre sobrenome de filhos. Ele é Japonês e passou mais da metade da vida nos EUA. Nenhuma das culturas com a qual ele cresceu usam comumente o sobrenome duplo. Eu, vocês já sabem rsrs Sempre foi concordância mútua que nossos filhos não teriam nome composto ou o que aqui nos EUA chamam de "nome do meio." No entanto, quando grávida, marido sugeriu que, como eu queria que nosso filho tivesse um dos meus sobrenomes, nós poderíamos colocar o meu sobrenome como nome do meio e o sobrenome dele. Claro que não concordei. Verdade seja dita, meu marido nunca argumentou comigo sobre o sobrenome do Pandinha. Ele sempre soube o quanto era importante para mim meu filho ter meu sobrenome. Ele, mesmo sem eu precisar dizer isso, entende que eu deixei muito para trás para estar aqui e se um sobrenome era algo tão importante para mim, virou algo importante para ele também e assim nosso pequeno tem dois sobrenomes e sem hífen. Problemas? Nenhum :-) o nome dele é curto, cabe em todos os documentos. Confusão? As vezes as pessoas não sabem como chamá-lo e usam um nome ou outro e algumas vezes apenas o primeiro nome. Isso incomoda? De forma alguma! Talvez, quando mais velho, ele escolha usar só um sobrenome. Talvez ele tenha as neuroses da mãe e supervalorize os dois nomes, mas estas respostas só vão vir no futuro. Por hora, seguimos super felizes e sem problemas com nossos sobrenomes!