Sunday, April 28, 2013

Filtro de Água

Amante de animal que sou, estou sempre lendo à respeito deles. Admito que me atento mais aos cuidados de  cachorro, pois como tenho a Senhorita Lua, tento me informar o máximo para ter certeza que não estou negligenciando os cuidados com ela!

Sou assinante de uma newsletter que chama Dr. John. Nem sempre os artigos deles são interessantes, mas vez ou outra aparece algo educativo e quase sempre rola vídeos engraçados e fofos rsrsrs

Um dos artigos por lá que me chamou bastante atenção foi sobre o hábito de beber água dos cachorros. Eles explicam que a maioria dos cachorros sofrem de algum grau de desidratação. Isto ocorre pq como nós, os bichinhos tbm não gostam de tomar água que ficou parada e exposta ao tempo.

Com a Lua nós sempre percebemos que ela amava quando colocávamos água no potinho dela. Ela sempre corria e começava a lamber a água que ia caindo no pote. Aí, após ler o artigo e pensar na postura da Lua, decidimos comprar um pote de água com filtro. E ela amou!!!

Hoje, ela bebe muito mais água do que bebia antes! E ela gosta de beber água que sai no topo do filtro e não a que fica no pote após ser filtrada rsrss Ela gosta de água corrente rsrsrs

From Google Images - Este é igualzinho o que temos aqui em casa, e a Lua gosta de beber no mesmo lugar que o gatinho está bebendo.


Os cachorros que frequentam nossa casa também gostam, e usam o pote de água dela sem nenhum problemas!

Muita gente que vem aqui em casa faz piada do super pote de água da Lua rsrsrs Sou daquelas donas que acredita que se tenho o bichinho preciso cuidar dele com o melhor que posso dar. Ela tem seguro saúde, a ração dela não têm by products ou grains e sim, ela tem um filtro próprio para a água dela!! Mimada?!? Mto provavelmente rsrs

Thursday, April 25, 2013

Um ano sem bolotas!

Hoje completou um ano que fiz a tonsilectomia. Como comentei aqui, a recuperação foi um verdadeiro pesadelo, que felizmente ficou para trás.

Hoje consigo sentir o gosto das coisas de novo, e acho incrivelmente estranho abrir minha boca e não ver as duas bolotas que sempre estiveram por lá. Eu não sinto dor, mas vez ou outra sinto um gosto de sangue. Tive uma faringite nestes 365 dias, o que é um super lucro comparado com o que a minha vida era antes.


De acordo com o marido, eu não ronco mais :) Mas ainda durmo de boca aberta por conta da minha adenoide, que deveria ter diminuido depois dos 6 anos de idade, mas a minha gosta de ser grandinha e me atrapalha a respirar pelo nariz! Agora, sem as grandes tonsilas para me proteger, eu sempre acordo no meio da noite para beber água, pq minha garganta fica hiper seca! No geral, acho que a tosilectomia foi sucesso na minha vida rsrsrs

Se indico a tonsilectomia agora que a vida está normal?! Se for em criança, não pense duas vezes, vai lá e faça. Se for adulto, pense 1000 vezes ;) e decida o que vc achar melhor.

Tuesday, April 16, 2013

Momento Certo

Quanto mais vou envelhecendo, quanto mais experiência profissional adquiro, e quanto mais converso com amigos e conhecidos,  mais vou acreditando que "O momento certo" para se ter um filho é uma utopia.

De acordo com a fisiologia, por volta dos 25 anos é quando temos as estatísticas médica ao nosso lado. Dados rápidos:

O pregnancy rate de mulheres antes dos 30 é de 20-25% após os 35 isso cai para 10%. Com relação a problemas na gravidez, mulheres abaixo dos 30 tem de 5-10% de sofrer um aborto espontâneo, enquanto que acima dos 35 este número sobe para 25%, o que pode não parecer muito, mas quando estamos falando em estatistica médica, é um número bastante relevante. Síndrome de Down, enquanto antes dos 30 a chande de um bb nascer com a Síndrome é de 1 para 1.250 após os 35, passa a ser 1 para 350.

Os números são assustadores né?! E tem muitas outras coisas "fisiológicas" que vão se alterando e trazendo consequências para a gravidez.

Tudo e possível! Lógico que há diversas mulheres que tiveram flhos após os 35 anos e não tiveram nehum problema pré, durante e depois da concepção. E tem várias mulheres novinhas que tiveram problemas... O que estou colocando aqui são fatos médicos! Dados gerais que são utilizados no  meu dia a dia.

Aí, baseada nestes números, eu penso: Que merda, eu já deveria ter um filho faz muito tempo. Então vem o lado social.

Na sociedade atual, escuta-se as coisas mais diversas: Devemos ter filhos depois de nos estabelecermos profissionalmente... Depois que fizermos tudo que queremos... Depois de dois anos de casado, afinal, vc precisa aproveitar a vida com o marido... Depois que vc já viajou e conheceu o mundo... Depois que vc juntou seu primeiro milhão... Depois que vc conseguiu um emprego estável... Tem sempre um depois!

Infelizmente, há muitas clínicas de reprodução que vendem ilusaão. Vendem a idéia de "Olha, vc pode fazer o que vc quiser, viver a vida do jeito que vc quiser, e quando vc decidir ter um filho, as clínicas de reprodução estão aí para rsolver este pequeno atraso no percurso."

Eu sempre digo que clínica de reprodução não faz milagre. Nós temos estatísticas, taxas de sucesso mas não livrinho de milagres.

A concepção é um dos processos mais complexos que o corpo humano desenvolve. A interferência médica neste processo ainda é muito limitada. Se conseguiu muito em pouco tempo, mas ainda estamos engatinhando nesta área.

Tem também a cobrança social para quem não está planejando ter filho: Mas mulher não é completa se não tiver filho... Vc e seu marido não são uma família se vc não tiver filho... Vc precisa de um filho...

São tantos fatores externos influenciando em algo que é tão íntimo... Eu tenho muita vontade de ser mãe... Muita mesmo. Já falei isso aqui várias vezes... Sonhava em ser mãe enquanto minhas amigas estavam sonhando em casar rsrsr Eu sonhava em partir para reprodução independente... Achava que com 28 anos já estaria com os meus gêmeos, e se não tivesse eles(as), estaria com os meus dois bbs já feitos e crescendo rsrsrs Enfim, ser mae sempre foi um desejo todo particular!

Os 28 já passaram, e nada de filho. Marido e eu conversamos absurdamente sobre o momento certo, e chegamos a conclusão que devemos parar de sonhar com este momento certo. Vamos a minha realidade:

- Tenho endometriose, não menstruo para controlar a dor. A fisiologia não está exatamente do meu lado...

- Tenho minha carreira, esta parte esta ok. Estou estabelecida, beleza. Marido está na residência médica... Vai comecar fellowship que durará 3 anos. Olha a matemática me lascando. Quando ele terminar o fellowship, eu estarei com 32-33 anos. Not good!

- Viajar e conhecer o mundo só nós dois: temos 15 dias de férias, minha família mora láááááá no Brasil (e não são do tipo que viaja para lugares mais distante); marido trabalha uma média de 80 horas por semana; nossas agendas não nos dá fim de semana com frequência, não temos feriado... Ok, quando podemos viajar mesmo?! E ah, ele sempre vai trabalhar assim :)

- Fianceiramente... Putz, temos o financiamento da casa, o loan da faculdade de medicina dele... Vai demorar para os débitos acabarem por aqui...

Faz algum tempo tive a minha consulta no especialista (depois escrevo um post sobre isso) e marido e eu percebemos que a coisa vai ser no susto rsrsrs Um dia vamos levantar e falar: Ok, vamos parar os métodos contraceptivos e vamos tentar botar um panda no mundo rsrsrs De certa forma será planejado, mas não será o utópico momento certo. Será o nosso momento!

Será que ele ainda vai estar no fellowship? Não sabemos. Será que vamos ter ido para algum país que não tenha sido o Japão ou Brasil? Não sabemos. Vamos ter terminado nossas dívidas? Essa eu posso garantir que não rsrsrs Estaremos de mudança para outra cidade? Não sabemos. Vai ser antes ou depois dos 35 anos? Não sabemos. O que nós sabemos? Eu quero ser mãe, e ele quer ser pai. Eu acredito que ele vai ser um grande pai, e ele acredita que eu vou ser uma grande mãe. Todo o resto vamos aprender a lidar no caminho, juntos, como marido e mulher, e parceiros que escolhemos ser.

Sabemos nossos riscos, e isto é o que importa! O resto é consequência que só vamos conhecer quando estivermos lá!

Saturday, April 13, 2013

Um estrangeiro no Brasil

Passada rápida só para dividir as impressões de um estrangeiro que vive no Brasil. Achei vários itens super divertidos!

http://olivierdobrasil.blogspot.com/

Tuesday, April 9, 2013

Ignorância é de fato uma benção?!

(Rascunhei este post uns 7 meses atrás, e finalmente terminei de escrevê-lo)

A ignorância a qual estou me referindo, é a do significado real: ignorância = falta de conhecimento!

Eu sou daquelas que questiona tudo que pode e não pode. Que tenta ler de tudo, que procura se informar de tudo... Marido sempre faz piada, ele diz que eu tenho o maior conhecimentos de "random things" que ele já viu na vida!!

Dificilmente há um assunto que não me interesse e me faça virar amiga íntima do google e outros meios de pesquisa por dias, até que eu obtenha algumas respostas. Quando marido me pergunta algo, seja o que for (pode ser até alguma fofoca de celebridade rsrs) se eu não souber a resposta, imediatamente vou fazer uma rápida pesquisa on line para saber do que ele está falando!!

Com a minha saúde é a mesma coisa, pesquiso absolutamente todas as possibilidades. Quando fiz minha tonsilectomia, além do papo esclarecedor que tive com o médico, eu li vários artigos, li vários depoimentos de pessoas que passaram pela cirurgia.

Com o processo de imigração a mesma coisa. Fiz tudo absolutamente sozinha, e o único problema que tivemos foi algo que eu já havia previsto que aconteceria, mas o infeliz do médico que eu passei aqui me ignorou completamente, e por isso acabei com uma RFE!

Lógico que quando vc faz um monte de pesquisa por conta, principalmente quando relacionado a saúde, vc precisa ser muito criteriosa. Assim como o papel, a internet aceita qualquer merda :) Então se não formos cuidadosas, vamos acreditar em coisas sem nenhuma base real.

Resolvi escrever este post pq tive alguns argumentos com a minha irmã à respeito da gravidez dela (sobrinho já nasceu lindo e gostoso há sete meses). Não vou entrar em detalhes, mas a grande discussão que tivemos é que eu dizia para ela que a decisão dela deveria ser baseada em conhecimento, e não em o que algum médico disse para ela. Ela batia o pé dizendo que a decisão deveria ser feita com a confiança no médico dela e que naquele momento, conhecer alguns fatos não trazia nenhum benefício.

Imaginem minha indignação! Neste sentido, eu e minha irmã não poderíamos ser mais diferentes!

Entendam que eu acho muito importante confiar no médico. Não adianta a gente ir ao médico e não dar ouvidos ao que ele está dizendo. No entanto, o médico é ser humano, e como tal, não detêm todo o conhecimento do mundo. Os médicos são especialistas, concordo com isso, mas como ser humanos nem sempre eles são imparciais ou fazem uso de bases irrefutáveis. Acho que muita gente conhece cirurgião que manda todo mundo passar pelo bisturi, né? Quantos casos vcs já ouviram de obstetra que fez cesárea em mulheres que poderiam esperar mais para ter o bb? E ele(a) faz isso apenas pq o nascimento da criança ia cair nas férias do Dr.

Meu discurso para ela, e também para meus pais que estavam lá, era que todas as decisões da nossa vida deveriam ser baseadas em conhecimento adquirido. O que quero dizer é que se tomamos uma decisão, mesmo que não seja a mais acertada, o que vai nos trazer a confiança para não ficar "second guessing" é o fato que a decisão foi tomada após uma detalhada avaliação de prós e contras. Existem milhões de coisas em que se e muito difícil pensar em todos os possíveis finais, e em alguns casos acho sim aceitável não nos estressarmos demais tentando entender todas as vertentes da situação. No entanto, quando vamos decidir algo, acho que e necessário se fazer uma pré pesquisa e avaliar se é possível ou não prever alguns resultados. Nestes casos, me desculpe, mas escolher a ignorância é apenas para conforto próprio, pq se alguma coisa der errado vc pode culpar o mundo, e não a si mesma.

Acho que devemos ser críticos. Não devemos acreditar em tudo que lemos, que nos é dito.  Mas acho que a única forma de realmente desenvolver uma mente crítica é obtermos o conhecimento, e para isso temos que conversar/debater com pessoas com as mais diversas opiniões sobre uma coisa, e ler, ler mto. Não dá para criticar ou sugerir aquilo que temos pouco conhecimento. Acho impossível defender uma idéia sem ter um conhecimento mais detalhado sobre aquilo que defendemos. Eu tenho opinião sobre quase tudo, e para ter opinião eu preciso me informar.

Opinião é algo pessoal, mas para chegar à minha opinião eu preciso de fatos. Estes fatos são então processados na minha mente usando minha experiência pessoal, minha visão de moralidade, minhas crenças e todo o resto que interfere no meio de ver as coisas de qualquer pessoa, e então finalmente chego a minha opinião.

Ignorância é uma coisa que não combina comigo, em todos os seguementos, das coisas mais "estúpidas" as mais importantes!!

Tenho um super orgulho de cada coisa que sei, até quando o conhecimento é sobre algum dado esquisito do livros dos recordes rsrs.

Eu entendo que existe um certo conforto na ignorância, mas ecolher conforto nunca foi exatamente minha especialidade :) As vezes é mais simples ter alguém "pensando" por vc, mas eu não consigo me sentir tranquila desta forma, então sigo meu caminho pesquisando sobre tudo q aparece na minha vida rsrsrs