Tuesday, September 25, 2012

Random

Uma troca de mensagens via FB com a Rebeca me trouxe a inspiração para este post  :)

Vou falar de mais um dos meus conhecimentos aleatório rsrs

Marido é Japonês, original. Nascido em Tóquio rsrsr E como muito asiáticos, eles sofre de uma deficiência enzimática que o limita na ingestão de álcool.

Funciona assim, marido bébe meia lata de cerveja e fica bêbado rsrs Ele fica tão, mas tãaaaaao vermelho, que até o couro cabeludo dele fica reluzente. Marido, após um shot de vodka em um Blood Mary, desenvolve Gota! Marido fica bêbado em meio segundo, e sóbreo com a mesma rapidez. A quantidade de álcool para deixá-lo bêbado é tão pouca, que mesmo visivelmente bêbado, ele pode fazer um teste de bafômetro que vai dar que ele não têm álcool no organismo (fato verídico). A coisa pode ser pior. O pai do marido, após 350 mL de cerveja, precisou ir para a emergência para fazer uma lavagem estomacal.

Há vários graus de deficiência desta enzima! Marido passou a vida inteira sendo o motorista da balada entre os amigos, e hoje em dia é o motorista para a esposa. Assim sempre posso desfrutar de uma taça de vinho quando vamos jantar fora :)

Então vamos ao random knowledge do dia:

Principalmento os asiáticos sofrem deficiência da enzima chamada Aldeído desidrogenase. Quando ingerimos o álcool, este sofre um processo de absorção no nosso organismo. No fígado ocorre a primeira quebra das enzimas do álcool, sendo estas transformadas em acetaldeído (altamente tóxico) que é imadiatamente quebrado em acetatos. A Aldeído desidrogenase faz a quebra do acetaldeído em acetato (Tacinha, certeza que vc pode explicar isso muito melhor do que estou fazendo). Enfim, por conta desta deficiência, ou em alguns casos a ausência desta enzima, as pessoas sofrem reações dramáticas com a mínima ingestão de álcool. É o caso do marido. Estudos demonstraram que os Japoneses são os mais afetados com esta deficiência, mas seguido de muito perto pelos outros asiáticos.

Na mão contrária ao marido, eu acho que tenho excesso de enzima rsrsrs. O sonho da minha antiga roommate, em Cleveland, era me ver bêbada. Todas as vezes que íamos a um bar, ela me pagava diversas bebidas.  Eu nunca saia bêbada de trançar as pernas. Eu gosto de beber, não vou mentir :) Eu adoro um bom vinho!! No calor, adoro um bom drink, mas posso contar nos dedos (de uma mão) as vezes em que fiquei bêbada. Até hoje só vomitei uma única vez, e foi depois de beber muitooooooo sem comer nada! (Oh yes, I have my embarrassing  moments).

Com esta mistura de genes, marido e eu esperamos pandas normais rsrsrs.

Sunday, September 23, 2012

Burocracias Casamentícias

Já era para eu ter escrito este post faz tempo, mas sempre esqueço hehe

Meu casamento civil foi feito no EUA, o processo foi super simples. Cada estado americano pede documentos específicos, então vou falar do meu processo que ocorreu no  Condado de Washtenaw, em Michigan.

Esmiuçando o processo...

Primeiro nós aplicamos para a Marriage License, que é a autorização para que possamos realizar o nosso casamento civil. Se for fazer um comparativo com Brasil, diria que é o lance de Proclamas.  Para aplicar para o marriage license aqui, nós tivemos que comparecer a um escritório da prefeitura munidos de um documento com foto, comprovante de endereço, certidão de nascimento e o cartão de social security (para estrangeiros sem SS pode usar apenas o passaporte). A Marrieafe License fica pronta em 3 dias, e é quando estamos autorizados a entrar em contato com um juíz de paz, ou se decidirmos fazer um religioso com efeito civil também podemos ir atrás. No nosso caso, o casamento religioso foi no Brasil, então fomos atrás do juiz de paz para fazer o civil. Casamos exatamente 4 dias após aplicarmos hehehe

Após recebermos a nossa licensa, ligamos para alguns fóruns para ver qual era a disponibilidade deles para relalizar casamentos. Em uma cidade pertinho de nós, eles tinham um horário para o dia seguinte, e assim marcamos nosso casamento hahahaha Para marido e eu, o nosso casamento civil era apenas para legalizar perante a justiça, pq nós consideraríamos casados após o casamento religioso no Brasil. Para vcs terem uma idéia de como a coisa foi tão de supetão, nem tínhamos aliança para o marido hahahaha Fomos em uma loja e compramos um anel de prata para ele, e utilizamos a minha aliança de noivado como aliança de casamento rsrs Não tivemos ninguém nem da minha família nem da dele. Alguns amigos compareceram (precisávamos de testemunhas rsrs) e depois fomos para um Pub do outro lado da rua do fórum para comemorar! Tudo ocorreu em uma terça feira de tarde rsrsrs

Como já comentei por aqui, fiz todo o processo do casamento na igreja católica aqui no EUA, e a igreja que frequento daqui enviou todos os documentos para a igreja em que me casei no Brasil. O certificado de casamento civil daqui, foi o que a igreja no Brasil também utilizou para realizar o casamento. No entanto, casar no religioso no Brasil não significa que vc está casada perante a justiça dos homens.  O casamento no civil no EUA não tem valor legal no Brasil ao não ser que vc faça o processo de reconhecimento do matrimônio em terras tupiniquins, o que eu fiz.

Vc não precisa fazer este reconhecimento para poder casar no religioso no Brasil, mas para mim eu queria estar legalmente casada nos dois países. Além disso, queria que todos os meus documentos, tantos brasileiros quanto americanos, apresentassem o sobrenome do marido que acrescentei pós casamento. O processo parece super trabalhoso, mas na verdade é bem simples.

O primeiro passo é realizado no Consulado ou Embaixada brasileira mais perto de vc. No meu caso, é o consulado de Chicago. Eu aproveitei que meu passaporte estava para vencer e em uma ida ao consulado eu legalizei meu casamento, e também renovei e alterei meu passaporte para o nome de casada!

No website do consulado tem todas as explicações, e o processo foi rápido e sem nenhuma dor de cabeça. Eu envie todos os documentos solicitados via email, então no dia que fui ao consulado eles apenas conferiram os documentos originais e eu e marido assinamos a nossa certidão de casamento. Simples né?!

Como disse antes, este é o primeiro passo. Após chegar no Brasil, eu fui até o cartório próximo a residência dos meus pais, com a minha certidão de casamento feita no consulado e a minha certidão de nascimento atualizada. Preenchi alguns formulários e pronto, 4 dias depois os meus pais foram lá buscar a minha certidão de casamento.

Simples assim, e eu estou devidamente casada na Terra do Tio Sam e também na dos Tupiniquins :)

Wednesday, September 19, 2012

Lembranças de Infância

Recentemente, estava conversando com amigos sobre aventuras na infância, e decidi escrever aqui no blog uma das minhas maiores aventuras quando adolescente.

Já falei por aqui, diversas vezes, que tenho um menino enrustido em mim né? rsrsrs E esta aventura é um dos grandes demonstrativo disso :)

Geralmente, para os 15 anos de idade, as meninas sonham com uma super festa. Vestido de princesa, meninos engravatados... Enfim, a tão conhecida festa de Debutante. Eu nunca sonhei com uma, o que acho que foi até um alívio para os meus pais que jamais teriam o dinheiro para pagar uma festa de grande estilo. No entanto, sempre quis celebrar os 15 anos com algo marcante. Como tenho um pai que sempre apoiou as minhas tendências à coisas inusitadas hehehe ele aceitou me dar de presente um Curso de Sobrevivência na Selva com as minhas duas melhores amigas :)

Meu pai entrou em contato com um conhecido do exército, e lá fui eu com a minhas amigas fazer o meu tão sonhado curso de sobrevivência!!

Foram apenas 3 dias, e não matamos nenhum animal. Me diverti horrores!! Eu admito que rolou um choque inicial. O conceito de Sobrevivência na Selva, na minha cabeça, era meio que um acampamento rsrs E o real foi aprender a me virar no mato, mesmo rsrs

Antes de ir, eles nos avisaram para levar uma barra de chocolate, uma fruta, um pacote de bolacha e um suco. Como comentei antes, eu e minhas amigas estávamos em um ritmo mais de acampamento e levamos muita, mas muita comida em nossas mochilas hahahaha O que nos arrependemos grandemente após os diversos quilometros de caminhada carregando nossas mochilas hiper pesadas nas costas hehe

Quando chegamos no ponto escolhido para o acampamento, os organizadores do curso confiscaram todas as comidas, e eu e minhas amigas viramos motivo de piada. Estávamos carregando comida suficiente para as 24 pessoas que estavam fazendo o curso hahaha

O curso foi uma super aventura!! Eu e minhas amigas éramos as caçulas do grupo, e acabamos virando o xódo da turma rsrsrs De verdade, aprendi diversas coisas para Sobreviver na mata! Foi um curso básico, mas muito produtivo!!

Aprendi a procurar água se não há nenhuma nascente próxima, aprendi o que posso e o que não posso comer (incluindo insetos), aprendi como me orientar corretamente na mata... Como disse, aprendi muita coisa mesmo!! Lógico que passei uma fome lascada, e frio também hehehe Aprendi que quando estamos com fome de verdade, comemos qualquer coisa, mas só o suficiente para te dar um pouco de energia. É só seu corpo se sentir com "menos fome" que os bichinhos em frente de vc começam a te causar ânsia :)

Nos dividimos em grupos. Aprendemos a montar barracas com suplimentos da mata... Aprendemos a fazer a fogueira... Dormimos em turnos para ficar de olho em possíveis animais que pudessem querer atacar o acampamento e para manter a fogueira acesa (garoou a maior parte do tempo). Tenho milhões de histórias destes 3 dias, e fotos também (que naquela época não eram digitais rsrs) :)

Foi uma grande aventura! Um presente que muita gente torceria o nariz, mas eu e minhas amigas adoramos. Voltamos para casa com barro até no pensamento rsrsrs Mas repetiríamos a dose sem pensar duas vezes! Um dos melhores presente que meu pai me deu :)

Monday, September 17, 2012

Eu odeio Segunda-Feira

Quase todo mundo odeia Segunda-feira né?! rsrs Aquela coisa de que é o dia em que a semana de labuta re-começa. O dia em que a gente precisa entrar novamente no ritmo, após o fim de semana sem trabalho... Pois bem, no meu caso, não existe lógica em não gostar da Segunda-feira!

Aqui em casa, o conceito de fim de semana com dois dias de folga não se aplica. Marido e eu trabalhamos praticamente todos os fins de semana. Segunda não é quando a minha semana começa, pq geralmente minha semana não tem fim rsrsrs Algumas semanas eu tenho folga na Terça ou na Quinta, mas outras a "semana" de trabalho vai direto, ultrapassando os 7 dias!!

Mesmo assim, toda Segunda-feira é o dia mais difícil para eu acordar... Eu nem tomo café da manhã antes de sair, assim tenho mais tempo na cama hehe Meu corpo fica moído o dia inteiro, fico hiper lenta de raciocínio e com cara de quem farreou o fim de semana todo!! Por conta das aulas, chego em casa tarde da noite e nem me inspiro em comer hehehe Me jogo no chuveiro e depois me largo na cama rsrsrs Chega a Terça-feira e tudo fica normal. Este meu psicológico tem cada coisa ;)

                       ------------------------------------------------------------------------------

Estou voltando a escrever, em doses homeopáticas, mas estou de volta :) Estou conseguindo me organizar novamente. A enxaqueca agora está apenas como uma dor de cabeça que vai e vem. A maioria dos sintomas desapareceram, e a vida está quase de volta ao seu normal.

Não vou dizer que está sendo simples sem o medicamento. Minha ansiedade está falando mais alto novamente. Minhas palpitações estão de volta (mas não o tempo todo) e coisas pequenas despertam minha irritação novamente. Eu sabia que seria assim, e estou tentando mudar este quadro.

O ideal seria a terapia, mas por enquanto, ainda estou relutante com a idéia. Não é preconceito, apenas fico debatendo com o fato de ter que fazer terapia em inglês hahaha Loucuras de Aline :)

Entendam que eu acho terapia uma ferramenta importantíssima! Sou daquelas que acredita que o mundo precisa de terapia!! Eu nunca fiz, mas adoraria fazer. Adoraria que o marido fizesse, que meus familiares fizessem, se bobear gostaria até que a Lua fizesse hahahahaha Sim, acredito muito nos benefícios da terapia! Lógico que é necessário se fazer terapia com um profissional competente, infelizmente tem muito incompetente posando de terapeuta...

Ok, de volta ao meu caso ;) Estou me encontrando aos poucos. Tive que desistir de alguns planos, pq este não é o momento de forçar meus limites, mas acho que estou indo muito bem!! E pq nada é tão simples assim, para ajudar, eu bati o carro :( Não foi nada grave, ninguém ficou ferido e o dano no carro foi só na lataria. Mesmo assim, foi a minha primeira batida em 11 anos dirigindo e fiquei p. da vida com o ocorrido, principalmente pq eu fui a culpada... Como diz o marido, preciso get over it!! E tenho fé que ainda chego lá rsrsrs

Friday, September 7, 2012

O Poder do Cérebro

Eu tenho total noção do poder do meu cérebro sobre o meu corpo. Meu estress me afeta fisicamente, e eu sei muito bem disso. Meu estress e minha ansiedade me causam sintomas físicos, que hoje sei que são frutos da minha cabeça.

Existe algo chamado Transtorno Somatoforme, que é caracterizado pela presença de sintomas físicos sem nenhum achado clínico que direcione para alguma doença específica. A pessoa com Transtorno Somatoforme não inventa os sintomas físicos, ou sequer tem controles sobre eles. O Transtorno Somatoforme é na verdade um diagnóstico de exclusão, ou seja, se faz várias investigações para tentar correlacionar clinicamente os sintomas físicos à alguma doença. Quando esta investigação falha, considera-se um Transtorno Somatoforme (que têm variações dentro do transtorno, mas não vou entrar em detalhes).

Muita gente já ouviu falar da fibromialgia, certo? A fibromialgia é um Transtorno Somatoforme. Não há uma explicação clínica para as dores que o portador de fibromialgia sentem, por isso a fibromialgia não é considerada uma doença e sim uma Síndrome. É um diagnóstico de exclusão, o paciente tem as dores físicas que não podem ser correlacionadas com nenhuma doença. Na fibromialgia há o conjunto de sintomas específicos, mas não é possível se identificar exatamente o que está causando os sintomas físicos.

Curiosidade rápida, qual a diferença entre doença, síndrome e transtorno?? (Não sou especialista. Aprendi isto na faculdade, mas claro que guardei a explicação básica na mente rsrs, e é o que vou dividir aqui)

Síndrome - conjunto de sintomas e sinais que ocorrem simultaneamente, que podem ser indentificados clinicamente, mas nem sempre determinam uma doença.

Doença - é uma condição onde há alteração do estado normal físico. Esta modificação causa danos, alterando ou interrompendo funções do nosso corpo. O agente desta alteração é geralmente descoberto.

Transtorno - uma abnormalidade do estado físico ou mental

Voltando ao post rsrsrs

Em 2010, eu comecei a sentir uma sensação horrível no peito, super difícil de explicar. Era uma sensação de estar sobressaltada, como se algo estivesse fora de sintonia no meu coração. Reclamei para o marido, que disse que era nada :).

A coisa foi progredindo ao ponto de que quando estava em crise, eu sentia até um pouco de falta de ar. Marido viu que eu falava sério. Auscultando meu coração, ele viu que quando eu sentia o mal estar, era como se meu coração pulasse uma sequência de batimento. Ok, não estava imaginando nada, havia um sintoma físico detectável.

Marquei meu médico, e fiz todos exames do coração que alguém pode imaginar. Tudo mesmo!! Estava lá, meu coração pulava uma sequência de batimentos, mas não foi encontrado nada que justificasse este pulo. Os médicos descartaram tudo que podia estar relacionada a estes sintomas, e a única coisa que sobrou foi ansiedade e estress hehe. Comecei o ansiolítico, e perguntem se as palpitações continuaram?! Claro que não!! Quer dizer, hora ou outra ainda sentia umas crises, mas nem chegava a ter falta de ar :)

Entendam que o Transtorno Somatoforme não é Hipocondria. O Hipocondríaco, também apresenta sintomas físicos (também não são inventados ok?) mas a grande diferença está na postura do paciente. Por conta dos sintomas, o hipocondríaco acredita que ele tem uma doença grave que os médicos estão falhando em identificar. Se preocupar com a saúde é algo que todos devemos fazer, mas tudo tem um limite, e para o hipocondríaco este limite não existe. A pessoa fica tão determinada a achar uma doença, que isto começa afetar o dia a dia da pessoa. O hipocondríaco vai procurar vários agentes de saúde, e sempre vai achar que o que está sendo feito não é suficiente. Deu para entender a diferença?! Espero que sim :) O assunto é muito mais complexo do que esta idéia geral que estou dando, mas com critério, se acha muitas repostas e explicações na internet!

Pq estou falando sobre tudo isso?! Porque eu parei meu ansiolítico. Eu e minha médica já queríamos parar o medicamento faz algum tempo, e agora, com tudo que está acontecendo eu decidi que era o momento perfeito para parar. O marido achou que era meio loucura eu parar agora, mas para mim eu não posso ser dependente da droga pelo resto da minha vida (Olha a preocupação com os Pandas rsrs). O meu transtorno é algo que eu preciso aprender a controlar sem a droga (Gente,  não condeno uso de medicação ok?! O que estou falando é que com o MEU transtorno não é preciso de medição para o resto da vida, ao contrário de algumas outras condições).

No meu caso, apenas usar a droga, eu não estou tratando a causa e sim os sintomas, e preciso tratar a causa. Como agora estou extremamente ocupada com muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, decidi que era a hora de parar, pois o meu cérebro estará ocupado com muitas outras coisas e não vai ter tempo de me causar palpitações rsrs A coisa não é tão simples, eu sei, quero apenas passar por onde meu raciocínio de parar começou.

E o ponto maior de todo o post é que parei o ansiolítico e estou sofrendo de crise de abstinência forte: diarréia, hot flashes, calafrio, náusea e minha exaqueca está constante. Nem o remédio de enxaqueca ajuda. Meus nervos estão à flor da pele. Chorei horrores vendo um pequeno trecho de Americas Got Talent, e briguei absurdo com o meu marido só pq no fim de semana, ele mudou os planos do café da manhã sem me avisar com uma antecendêcia que eu considerava adequada. Sentiram o drama?

Para juntar à tudo isso, tive duas provas na faculdade esta semana, e tenho mais duas na próxima semana. Por conta da dor de cabeça, ler e escrever é um sacrifício, então não tenho ficado no computador além do necessário para a faculdade. Até na hora do banho eu tenho ficado no escuro, a luz incomoda muito. Aos poucos estou melhorando, a cabeça ainda está latejando, mas nada comparado aos outros dias... Ainda não vou conseguir comentar nos blogs que gosto de visitar, pq não quero forçar mais do que já estou forcando, mas eu queria dividir com vcs o pq do sumiço :)  Assim que meu corpo se adptar a falta da droga, eu volto a comentar no blog de todos :)

Gente, quero reforçar aqui que não sou especialista no assunto!! Sou especilista em Reprodução ok?! Tudo que escrevi aqui é baseado no que aprendi, pesquisei e conversei com médicos.

Wednesday, September 5, 2012

Afastada...

Estou sem escrever por aqui por alguns dias... Nada grave, mas estou com algumas coisas acontecendo. Já havia escrito um post enorme meio que de updates, mas como estou em uma fase "cagada", enquanto editava o texto eu o deletei. Não faço a mínima idéia de como o fiz, então quando me inspirar de novo eu escrevo.

Ainda estou lendo os blogs que gosto, mas não comento. Não consigo ficar muito tempo na frente do computador, e tenho que ter prioridades, e a faculdade que começou fervendo está sendo a prioridade do momento. Minhas energias estão na direção dos meus estudos, mas prometo que logo volto a programação normal!!