Sunday, August 28, 2011

A marmita

Este fim de semana eu e o namorido nos reunimos com a Eli e o esposo, no nosso bate papo acabamos entrando em uma conversa sobre algumas diferenças entre Brasil e EUA.

Existem coisas boas e ruins em ambos os países, mas na nossa conversa falamos de uma coisa que acho bárbara por estas bandas e nunca escrevi sobre: A marmita no restaurante hihihi

Nestas bandas do norte, é extremamente comum que ao fim de sua refeição, se ainda há comida no prato, o garçom te pergunta "Do you need a box?" (Vc precisa de uma caixa?). A caixa nada mais é do que um isopor no bom estilo Tupperware para vc levar a sua sobra para casa!
From Google Images

As meninas que estiverem por estas bandas me corrijam se estiver errada, mas não me lembro de ter ido a um restaurante sequer que não tivesse as caixinhas!!

Acho uma ótima idéia, especialmente pq em alguns restaurantes os pratos são gigantescos, e aí seria um desperdício sem tamanhos jogar tudo fora!

O mais bacana, vc pode sair do restaurante com a sua marmitinha tranquilamente que ngm vai te achar estranho, e nem o garçom te olhar torto ;)

Algo que aprecio mto mesmo, não ao desperdicío, seja em casa ou no restaurante!!


Tuesday, August 23, 2011

Pensamentos

Nos útltimos dias assisti dois filmes, que acabaram me prendendo em um carrosel de comparações.

O primeiro filme, assisti no fim de semana com o namorido, The Blind Side. Já havia assistido este uma vez, mas como o namorido queria ver, eu vi novamente.
From Google Images

The Blind Side é baseado na história real do jogador da NFL (liga profissional de futebol americano) Michael Oher. Michael é um garoto negro, pobre e com problemas de aprendizagem que conhece na família Tuohy, o verdadeiro sentido da família e de ser aceito. A história se desenvolve em Memphis. Não quero estragar o filme para aqueles que ainda não o assistiu mas o gostaria de ressaltar é que a história de Michael ocorreu na década de 90, o que abordarei em seguida qndo fizer o comparativo entre os filmes ;)

O segundo filme é o The Help, que fui assistir ontem com algumas amigas. Super indico, um filme onde vc ri e chora com uma história super envolvente. O filme é sobre a história de empregadas afro-americanas em Jackson-MS no começo da década de 60. A história é contada pelo ponto de vista 3 personagens, sendo duas empregadas negras e uma aspirante a jornalista e escritora, branca.
From Google Images


A história do The Help, por si só, te faz refletir bastante, mas o fato de ter assitido The Blind Side em um período muito curto de tempo, me fez pensar ainda mais em tópicos que estão presentes em nossas vidas diariamente mas que filmes como estes "gritam" para dizer que tão pouco mudou.

Há uma diferença de 30 anos na história dos filmes, é impressionante como o figurino muda, mas o preconceito e a atitude das pessoas não. Sim, nós evoluímos, mas acho que tão pouco que chega a ser assutador.

Em ambos os filmes há uma cena muito parecida, onde há um grupo de mulheres financeiramente estável jantando juntas, e algumas fazem piada de um personagem específico por conta da sua generosidade com os negros. Novamente, um filme retrata os anos 60 e o outro os anos 90, mas as cenas são incrivelmente parecidas.

E não me venham dizer que isto é coisa Holywoodiana, pq a história do the Blind Side é baseada em fatos reais, e a outra tbm usa como base fatos que ocorreram naquela época.

Eu realmente não quero estragar o filme para ninguém hihihi mas gente, no Blind Side mostra alguns guetos, pnde predominantemente estão os negros, e no The Help, eles tbm mostram a parte da cidade onde só moravam os negros.

É como Detroit ou Cleveland, duas cidades onde a maioria massante de habitantes é negra, e infelizmente há muita discriminação.

Fica a pergunta, entre as histórias se passaram 30 anos e pouquissímo mudou, será que algum dia chegaremos a realmente praticar a igualdade?

Monday, August 22, 2011

Mudança do sobrenome

Este assunto é polêmico, hoje estava lendo este artigo e achei interessante alguns opções abordada.

O artigo fala que nos EUA, o número de mulheres que mantém seu sobrenome está diminuindo com o passar dos anos, o que achei bastante curioso, pois eu acreditava que era ao contrário.

Eu acredito que há diversas razões que influenciem a decisão sobre mudar ou não o nome, e acredito que esta é uma decisão muito individual. Por sua individualidade, eu acho que este não deveria ser um assunto polêmico, mas enfim, nem todos concordam em discordar.

No meu caso, optei por acrescentar o nome do namorido após casar. Pensei muito, avalie tudo que pude, ouvi a opinião do namorido, mas no fim, a decisão era estritamente minha, pois sou eu quem vou alterar o nome, não ele, e apesar de saber do desejo dele, para mim esta não era uma decisão que deveria tomar baseada unicamente nisso.

Li e reli as opiniões mais diversas sobre o assunto, pq qria ter certeza que a minha decisão era baseada em fatos (que eu acreditasse) e não em uma pressao da sociedade, muito mesmo seguir pq simplesmente "sempre foi assim".

Não adianta, seja qual for sua decisão, sempre vai ter alguém apontando o dedo para dizer que vc deveria ter feito diferente, e por isso foi tao importante para mim analisar todas as possibilidades, por que posso dizer com toda convicção que foi minha decisão!

Para algumas feministas, acrescentar ou mudar o sobrenome é um afronta ao feminismo, o que eu particularmente discordo. Na minha opinião, ser feminista é poder escolher e exercer aquilo que vc tiver vontade, única e exclusivamente baseado em sua vontade, sem importar o que a sociedade espera de vc, seja sua vontade qual for.

Por isso, acho que se a vontade é acrescentar o nome do marido, pq não?? Isso não vai contra a causa da independência feminia, pelo menos, na minha opinião. :)

Tenho uma amiga que sempre argumenta que adotar o nome do marido é ceder para uma sociedade patriarcal onde somos propriedades do marido, minha resposta para ela é sempre a mesma, ela ainda esta exercendo a sociedade patriarcal ao extremo, pois os sobrenome dela é composto apenas do nome do pai, então ela não é propriedade do marido, mas sim do pai. Essa discussão sempre acaba em risadas, pq nós duas sabemos que argumentar com a outra é  apenas entretenimento!

No meu caso, minha decisão em acrescentar o nome do namorido foi baseada em unidade familiar. Sempre tive um apego com sobrenome rsrsrs Eu tenho o sobrenome da minha mãe e do meu pai (bastante comum no Brasil) e qndo criança não abreviava nunca nenhum dos meus sobrenomes, pq achava que se fizesse isso dava a impressão de que amava um menos do que o outro. Pensa nesta criança neurótica?! rsrsrs

Qndo me mudei para o EUA, por questão de praticidade, passei a usar apenas um dos meus sobrenomes, pq americano fica todo confuso com mais de um sobrenome sem hífen hahaha Mas uso um sobrenome, apenas para assinar meus laudos na clínica, pq todos os meus documentos e tudo que requer meu nome legalmente, todos os sbrenomes aparecem direitinho! O que é uma dor de cabeça para o sistema americano, pq em alguns documentos meu nome já fica apertado, com o do namorido, nem cabe hahaha

Quero acrescentar o nome dele, pq como citei antes, acho que isto representara nossa família como unidade. Eu sei que o que de fato torna nossa família uma unidade é nosso feeling e não um sobrenome, mas optei por ter um sobrenome que nos representasse como unidade tbm perante a sociedade, isto é algo que agora, enquanto não tenho filhos, não faz mta diferença, mas acho que qndo tiver um pequeno por aqui a importância será maior. Entendam que esta é minha opinião particular, acho perfeitamente normal quem opta por não acrescentar o nome, e entendo os motivos de quem não o faz, mas estes são os meus motivos e pq o farei.

Nesta reportagem que citei, uma "solução" que alguns casais americanos têm optado é por criar um novo sobrenome, geralmente formado da junção de partes do sobrenome do casal. Acho que, legalmetne, nem é possível tal prática no Brasil, mas achei esta uma solução bastante curiosa.

No meu caso, esta também seria uma opção impraticável, pq eu acho que a minha família será um extensão da família do namorido e da minha, e por isso faço questão de manter meus sobrenomes e que meus filhos tbm tenham os sobrenomes de ambos os lados. Novamente, acredito que o sobrenome nos representará socialmente conectados ao nosso passado, o qual valorizo imensamente.

Sempre fui fascinada em árvore genealógica, e acho que o sobrenome é uma grande representatividade dos galhos que ligam nossas famílias, desde o começo da história, e não gostaria de perder nunca esta conexão. Consequentemente, vou ter um sobrenome gigante para os padrões americanos, mas nem ligo rsrsrs Namorido sempre diz que os amiguinhos dos nossos filhos vão tirar sarro do sobrenome deles, não ligo tbm rsrs vou explicar para eles meus motivos, e se eles tiverem um pouquinho da fascinação pelo passado que a mãe deles têm, eles vão exibir o sobrenome com mto orgulho!!

E vcs, o que vão fazer/fizeram com os seus sobrenomes?

Thursday, August 18, 2011

Eu e o dentista, o dentista e Eu

Pela primeira vez, nos meus 4 anos de EUA, eu fui ao dentista por estas bandas...

Calma, calma, eu não sou porquinha e meus dentes estavam caindo, mas é que eu deixava para ir no dentista no Brasil rsrs Motivo bastante justo, dentista aqui custa "o olho da cara" rsrsrs

A última vez que fui ao Brasil foi em Março de 2010, e desde então estou sem ir ao dentista (iiiirrrrrcccc rsrs). Finalmente estou com um plano odontológico decente, e com o casamento se aproximando, não dava para ficar sem checar os dentes.

Eu realmente tive uma experiência ótima!! Fui ao mesmo destista do namorido, e eles foram hiper gentis conosco, aliás, de presente de casamento nos deram um clareamento dentário hihihi que é caro para danar.

Bom, achei bastante curioso o dentista por estes lados, não sei dizer se é assim por todo canto no EUA, pq esta é minha primeira experiência.

Cheguei no consultório e tinha uma plaquinha com o meu nome dizendo Bem Vinda!! Já achei esta parte hipoer diferente!! Preenchi uma ficha com várias informações médicas e dentárias e fui encaminhada para a sala  do dentista. Ao chegar na sala, uma Dentist Hygienist (não faço a mínima idéia que profissional seria equivalente no Brasil)  veio até mim e fez uma revisão sobre as informações que forneci. Em seguida, ela fez uma radioografia completa dos meus dentes e do meu maxilar. Enquanto os filmes eram revelados, uma segunda Dentis Hygienist veio se apresentar, pois seria ela quem faria a limpeza dos meus dentes.

Amei essa Hygienist, super competente e me explicou absolutamtne todas as partes do processo! Antes de inciar a limpeza, ela tirou fotos, com uma camera especial, de todos os meus dentes, projetando-as em uma tv em frente a minha cadeira para que eu visse o que ela estava vendo. Fiquei horrorizada com os meus dentes hahaha achei a coisa mais suja, mas ela me garantiu que não, que era normal, e que aliás eu tinha dentes muito bons e branquinhos :) Mas eu não gostei nada do que vi na tela rsrs

Ela inciou a limpeza, foi super cuidadosa e me explicava cada movimento que ela estava fazendo. Após ela fazer toda a limpeza, eu finalmente conheci a dentista, que veio na sala, checou as radiografias, o meus dentes, e explicou que eu estava com uma cárie. A minha experiência com o dentista foi super rápida, mas ela tbm foi bastante agrádavel e prestativa.

Saí de lá impressionada com a forma que o dentista funciona, novamente, não sei se é assim em qualquer lugar por aqui, mas adorei!!

Amanhã tem mais rsrs, vou fazer o tratamento da cárie e agendar a cirurgia para remover meus dentes do "Juízo". Sim, sim, deveria ter removido faz tempo, mas eles só cresceram quando eu estava com 24 anos, e aí, eu já estava de mudança para cá ;)

Essa cirurgia é hiper cara, seja aqui ou no Brasil, e eu já fiz uma cara de espanto do tamanho do mundo quando a dentista me disse que eu teria que removê-los, mas eis que a mocinha do billing me explicou que meu plano dentário cobre 100%. Agora estou in love com meu plano dentário, pq não vou precisar cortar nada do casamento para remover meus dentes hihihi.




Tuesday, August 16, 2011

Peripécias do coração

Eu não sou de fazer planejamento de long term, mas eu gosto de ter metas.  Não sou neurótica de precisar saber exatamente o que está reservado para o meus destino, no entando, eu preciso de saber um pouco da direção que estou seguindo, e meio que me deixa doida a incerteza que está pairando em minha vida lately.
 
Infelizmente, decidi me casar com a pessoa na carreira errada rsrs (pelo menos, enquanto ele ainda está estudando). Vamos as explicações...
 
Namorido está no terceiro ano da residência médica, e assim, casar com residente não é vida para ngm rsrs Qndo comecei a namorar com o namorido, ele ainda estava na faculdade de medicina, então estou nesta faz algum tempo já rsrs Eu nunca quis um relacionamento com médico, sempre evitei, mas enfim, o coração prega supresas rsrs. Pois, quando eu decidi amarrar meu burrinho com o namorido, ganhei de brinde, várias incertezas.
 
Qndo o estudante de medicina termina a faculdade, ele meio que pode parar em qqr canto do USA. Funciona assim, no último ano da faculdade de medicina, ele decide em que field ele qr seguir para residência, e aí, o residente submete uma aplication para programas em hospitais que ele têm interesse. Alguns residentes tentam se ater apenas a uma região dos USA, outros atiram para qqr lado. No caso do namorido, ele decidiu por med-peds, que é uma programa onde se especializa em pediatria e medicina adulta ao mesmo tempo, um programa de 4 anos. Ele tentou se manter mais no mid-west, mas ele chegou a fazer entrevistas na Califórnia e Texas.
 
Para cada field, o número de entrevistas muda, no caso do namorido, ele decidiu por entrevistar em 12 programas diferentes, mas um amigo meu que aplicou para residência em ortopedia, entrevistou em mais de 25 programas. Enfim, após as entrevistas, os aplicantes montam uma ranking list, e os programas fazem o mesmo. Um program de computador vai comparar os ranking lists dos aplicantes e dos programas. No caso do namorido, Michigan foi o programa que ele colocou em primeiro lugar, e Michigan tbm o colocou no top, e por isso acabamos aqui. Este processo é super importante, o país inteiro tem o match day no mesmo dia. Ou seja, todos os anos, os formandos das univesidades de medicina across the country participam da cerimônia de match, onde eles se reúnem para abrirem juntos suas cartinhas e descobrir onde eles irão começar a residência e passar seu próximos 3,4 ou 5 anos (cada especialidade têm uma duração). Algumas universidades faz com q os estudantes abram suas cartas e leiam o resultado no microfone, o que eu acho extremamente constrangedor, pq não é todo mundo que consegue ir para o seu programa preferido, e mtos choram, ficam mal qndo descobrem que acabaram em algum lugar que não era top para eles.
 
Bom, namorido queria sair de Cleveland de qqr forma, euzinha tinha um emprego por lá mas topei a aventura, para qqr canto que fosse, e consequentemente, perder meu emprego. Mudamos no auge da crise econômica, e viemos para Michigan, onde a crise foi mto forte, demorei mto para conseguir um emprego por aqui, e isto foi mto frustrante. Eis que namorido está terminando a residência, e agora vem o bendito fellowship (parece que não acaba nunca) que é a especialização, no começo ele queria trabalhar com cardiologia pediátrica, mas agora ele se decidiu por UTI pediátrica.
 
E aí, como aconteceu há 3 anos, em breve, ele vai submeter aplication em vários hospitais e ver onde vamos acabar... Eis que já estou sofrendo por antecipação, até porque, ainda vai demorar para descobrir onde vamos acabar, e ainda demora 2 anos para nos mudarmos (se for de fato a decisão final). 
 
Eu quero ficar aqui, ele não têm certeza, pq ainda precisa fazer mais pesquisa para ter certeza que o programa aqui é exatamente o que ele qr. Amo minha casinha, amo meu trabalho e amo Ann Arbor, recomeçar tudo again, realmente, não está nos meus planos :(
 
Onde fui amarrar meu burrinho?! rsrs Devia ter escutado minha consciência que sempre disse para não me envolver com médico rsrs O salário é horrível, ele trabalha uma média de 80hs por semana, volta para casa e precisa ficar estudando; folga 4 veses por mês e férias são terríveis, e claro, ou passamos Ano Novo ou Natal juntos, pq os dois é impossível.  Ai, ai...
 
Chega de reclamar vai, dois posts de lamentações em um intervalo mto curto, ngm merece rsrsrs

Saturday, August 13, 2011

Pq as vezes, ser noiva, me deixa exausta

Sempre fico pensando se os noivos riquissímos se sentem tão exaustos quanto eu e o namorido? Será que a Duquesa de Cambridge teve uns surtos psicóticos? rsrs
 
Eu me considero uma pessoa bastante centrada, mas acho que a minha mania de perfeccionismo está me sabotando rsrs é mto cansativo querer abraçar o mundo, sério mesmo!
 
Sinceramente, sinto que minha lista de afezeres e aquisicções crescem todos os dias, ao invés de diminuir. Faltam 4 meses para o big day, e sinto que falta mta coisa ainda. Vivo nos ups and downs e o pior, nem posso culpar a TPM rsrs pq eu, teoricamente, não menstruo faz alguns anos (teoricamente, pq meu corpo decidiu que o remédio não é mais tão eficaz e estou tendo dores esporádicas) 
 
Eu não tenho mtas exigências, quero um casamento simples, pequeno... E mesmo assim, tenho milhões de coisas, aí penso, será que eu sou o meu problema? 
 
Quando decidimos casar, eu não entendia nada de casamento, e resolvi fazer um intensivo. Acho que vcs já perceberam que sou meio louca né, e como a maioria das noivas, decidi que deveria entender tudo sobre casamento, do mais simples ao mais luxuoso, assim poderia decidir o que é para o nosso casamento e o que não é.
 
Já escutei várias críticas sobre as minhas decisões, de que meu casamento deveria ser mais pomposo... Não sou e nunca fui pomposa e nem tenho dinheiro para bancar rsrsrs Eu quero um casamento que retrate eu e o namorido, não o que as pessoas esperam da gente, e o que mais incomoda as pessoas que fazem estes comentários é que eu e namorido levamos tudo isso como uma grande piada, pq estamos mto seguros do que gostamos e queremos, então a crítica não nos afeta ;)
 
Mas mesmo ignorando os comentários e críticas alheias, eu mesma sou mto crítica e detalhista, e isto têm me deixado um tanto qnto exausta. Sei que devemos aproveitar os preparativos do casamento ao máximo, que este deve ser um tempo para diversão, mas eu não consigo levar tudo tão tranquilamente rsrs. Praticamente, tudo relacionado a casamento não depende de mim, até pq estou organizando tudo a distância, e isto me deixa tremendamente frustrada. Confio na equipe que trabalha comigo, mas sou assim, gosto de ter as rédeas de todas as situações. Eu sei, eu sei, preciso exercitar este lado, um dia eu vou evoluir neste quesito.
 
Eu, sinceramente, queria um pouco de férias!! Sempre brinco que queria férias, mas da minha vida e é exatamente isto que preciso, poder me desligar das minhas neuroses rsrs. Não estou querendo fugir de nenhum problema não, só queria uma pausa, aliás, nem lembro qndo foram minhas últimas férias, 2009?! Eu queria ir ali, sentar na beira da piscina e me desligar rsrs
 
Ontem mesmo, estava na cama com o namorido e a cada 5 segundos perguntava sobre algumas coisas que ele deveria ter feito e coisas ligadas ao nosso trabalho. Ele simplesmente olhou para mim e perguntou se meu cérebro não parava nunca (sim, nós sabemos que cérebro não pára, mas vcs entenderam a idéia certo?) Sou assim, meu cérebro está constantemente fazendo conexões rsrs eu durmo, em média, 4 horas por noite (e olha que tomo medicação rsrs). Por isso que queria dar uma voltinha sem compromisso rsrsrs Será que meu cérebro topa?
 
Que post mais reclamão rsrs 

Monday, August 8, 2011

Busy, busy, busy

Sumi por um tempo, os últimos dias foram um tanto quanto corridos para mim.
Para começar, castramos a Lua :( Demorou mto para tomarmos esta decisão, pq ainda estávamos debatendo sobre ter ou n filhotinhos dela, mas a verdade é q viajar para o Brasil, com dois cachorros sera' um pain, e como a cada ano sem castrar e se reproduzir, aumenta as chances dela desenvolver câncer, optamos pela castração.
Lua, que é dramática como apenas ela sabe ser rsrs, ficou derrubada por alguns dias, e neste meio tempo descobrimos que ela estava com colite nervosa e a alergia bem atacada. A coitada teve que tomar uma injeção super dolorida, ela gritou mto, e ainda precisou tomar um coquetel de remédios por uma semana, incluido tremadol para dor!
Além da Lua, que consumiu bastante o meu tempo, eu ainda tive um fitting do vestido de noiva, o cha bar nos States e um picnic do hospital. Junte a isso, trabalho, cuidar da casa, organizar o casamento...  pluft, precisei me ausentar do blog.
Vou aproveitar este post para falar do shower, que foi mto bacana.
Faltam 4 meses para eu me casar (o tempo está voando), e optamos por ter o shower agora por um motivo bastante relevante,  qndo se aproximar mais do casamento, as temperaturas por aqui estarão consideravelmente abaixo de zero, e como queríamos algo outdoors, a melhor opção era fazer o shower agora, no verão.
Foi uma tarde super gostosa com amigos, tantos meus qnto do namorido. Não foi um grupo mto grande, mas acho que todos aproveitaram. Quem organizou o shower foi um casal amigo nosso, que teoricamente são nossos padrinhos, mas devido alguns problemas técnicos (eles moram no Hawaii e aplicar para o visa para o Brasil ficou hiper caro) eles não vão poder ir.
O shower foi em um parque aqui perto de casa, e eles decoraram o shelter, deixando-o super charmoso, compraram comidinhas que estavam deliciosas, e tinha bebidas para todos os gostos. Fiquei admirada do quanto eles se preocuparam com tudo, pq sinceramente, estava esperando uma tarde no parque bastante simples, mas não, eles realmente se preocuparam em fazer um shower com tudo que tínhamos direito, e o detalhe é q eles organizaram tudo isso estando no Hawaii.
Eu, incialmente, estava bastante contra o shower, fiz mais por conta do namorido, mas no fim, aproveitei bastente e fiquei feliz em ter aceitado!!
 
Nós ainda teremos um shower no Brasil, que a minha querida Matron of Honor está organizando. :)
Deste fds, eu tirei o quanto temos amigos queridos em nossas vidas, sim, encontramos algumas laranjas podres, mas posso dizer que eu e o namorido temos muita sorte com os nossos amigos. Foi mto gostoso ver que algumas pessoas viajaram por horas, só para estar no shower, e que nossos amigos que vivem aqui, compareceram em peso!
A Eli, querida, estava lá, com o esposo e o Oliver na barriga! Ela esta lindíssima! Foi uma honra poder contar com a presença deles no shower, uma amiga tão querida que conheci através do blog!! Like I said, I am really lucky!