Wednesday, June 27, 2012

Vai entender...

Lendo o blog da Luana, da Rebeca, e da Katita, resolvi escrever sobre algo que me perturba desde que entrei no mundo dos blogs: O povo que persegue e ofende pessoas através das mídias sociais.

Eu juro que não entendo o trabalho que a pessoa se dá para deixar um comentário maldoso!! E há ainda àqueles que se dipõem a escrever emails para as blogueiras, apenas para destilar o veneno e o despeito.

Eu nunca sofri nenhum assédio aqui no blog ou no meu fb, mas já vi diversas meninas comentarem sobre o assédio que elas sofreram. Será que estas pessoas que perdem tanto tempo: lendo, comentando e escrevendo sobre (para) alguém ou algo que ela não simpatiza, não percebe que, na verdade, ela está apenas afetando a ela mesma?! Eu fico extremamente chocada com a capacidade que as pessoas tem em viver a vida alheia e não se preocupar com a própria vida.

Pelo mundo online já me deparei com vários blogs que não achei interessante (entendam, EU não achei interessante, mas tem outras pessoas que acham) e após ler alguns posts, eu não fiz nenhum comentário, e também não voltei mais lá. Já encontrei posts e comentários com informações não exatamente reais, e também não fiz nenhum comentário para contradizer o que a pessoa está afirmando. Quando alguém que simpatizo escreve algo que eu tenho conhecimento, eu comento, explico o que sei, mas com a maior educação e sem passar a (errada) impressão de que sou a sabichona. Se vejo comentário em algum blog que eu gosto, falando algo que eu discordo ou "absurdo", eu comento expondo minha opinião sobre o comentário da pessoa ou quando vejo que é caso perdido rsrsrs comento com a blogueira sobre o que sei.

Não entendo o desespero de algumas pessoas em querer mostrar que elas tem o conhecimento de tudo, que existe uma verdade absoluta e que ela o detém. Acho absurdo o quanto algumas pessoas escrevem besteiras, baseados em conhecimento de google sobre assuntos tão complexos, escrevem como se fossem autoridades, e mesmo em blogs assim, eu não faço nenhum comentário, pq gente, qual diferença vai fazer?!

Algumas pessoas tem essa necessidade de disseminar o ódio, que eu não consigo entender. Os casos destes 3 blogs que citei, são diferentes mas ao mesmo tempo iguais. Diferentes pq a situação de ódio vem de diferentes contexto, mas iguais pq no fundo o cyber bullying que elas estão sofrendo são de pessoas, que eu acredito, terem uma necessidade enorme de acreditarem serem detentoras de todo o conhecimentos do mundo, e tambem são grandes mestres em julgar!!

Internet é igual papel, aceita qualquer merda hehehe Mas nós não somos obrigados a ler, merda ou não, o blog de ninguém. Não gostou?! Fecha a página e segue em frente. Seu dia vai ficar melhor se vc escrever discordando ou julgando?! Aliás, acho que esta pessoas nunca aprenderam que todos nós temos telhado de vidro né?! Minha gente, vamos disseminar o amor!! Se alguém te incomoda tanto, repare que o problema é vc mesma(o) e não a pessoa que te incomoda!! Ao invés de perder tanto tempo com a pessoa que te incomoda, use este tempo para mudar em vc o que de fato está errado!!!

Blog é algo pessoal né?! E a gente pode escrever o que quiser, e apesar de ser nossa decisão nos expor, não quer dizer demos o direito à ninguém de nos desrespeitar. Todos blogueiros não vão agradar todas as pessoas!! Não são todos os posts que vão agradar até mesmo os leitores assíduos, mas discordar não nos dá o direito de sermos mal educados e despeitados hehehe

Não concorda?! Sabe mais sobre o assunto?! Comente, mas todos somos capazes de escrever civilizadamente, então vamos exercer esta prática?! Agora minha gente, comentário desnecessário, apenas para ser maldoso, não faz bem para quem escreve!! Pense nisso, quando vc está disseminando a inveja e o desrespeito, isto também será o que vc vai receber daqueles que te cercam!!

Monday, June 25, 2012

Pet Insurance = Peace of Mind

Quando se tem animais, é como quando se tem crianças, acidentes simplesmente acontecem.

Sim, existem coisas que se pode fazer para previnir, mas ainda há tantas outras que são imprevisíveis.

A Lua está bem :) Mas este fim de semana conversando com amigos vi, mais uma vez, o quanto vc pode ser pego de surpresa com uma emergência veterinária.

Já comentei aqui que tenho pet insurance para a Lua. Minha decisão e do marido foi feita após um bate papo com amigos.

Um belo dia, a cachorrinha deles pulou da cama (que ela sempre pulava fazia anos) e deu um mau jeito na coluna. Eles a levaram para o veterinário, pois perceberam que, gradativamente, ela estava diminuindo o ritmo de caminhar. Pois bem, após diversos exames, eles decobriram que ela tinha dado algum tipo de torsão na coluna vertebral, que estava comprimindo os nervos e se ela não fosse operada ela ficaria sem andar. Eles a operaram, e receberam um bill de 14.000 doletas!!! Após esta conversa, eu e marido decidimos ter insurance, pq a grande verdade é que se algo assim acontecesse com a Lua, a gente ia ter que vender um rim para poder pagar.

Ficamos com medo, muito medo mesmo, pq não queríamos nunca ter que dicidir sacrificar a Lua pq não temos dinheiro para pagar o tratamento que ela precisa. Ja li muitos casos de pessoas que tiveram que fazer isso.

Este fim de semana, novamente em um bate papo, ouvimos mais uma história assustadora. Nossa amiga nos contou que o cachorro dela havia sofrido um acidente. Ela contou que sempre que saia de carro, ela colocava o labrador dela na cage dentro do carro. Mas duas semanas atrás, ela ia em um lugar bem pertinho, e deixou o cachorro fora da cage, com a janela entreaberta (pq ela achava que ele não conseguiria passar pelo espaço que ela deixou) Pois bem, parada em um cruzamento, o labrador dela simplesmente pulou pela bendita janela. Ele deu um mau jeito e acabou quebrando o fêmur. Ela disse que atravessou o carro dela na pista para ter certeza que nenhum outro carro ia atropelar o cachorro, e com muito trabalho (o cachorro é enorme e ela é bem pequenina) e muito choro, ela colocou o cachorro no carro e o levou para o veterinário. Bom, muitos remédios e procedimentos depois, o pequeno dela em breve estara de volta à ativa. Aí vem o outro susto, ela saiu do veterinário com um bill de 4.000. E ela nos disse o quanto ela se arrepende de não ter insurance.

Muita gente considera o pet insurance um luxo, mas eu vejo como uma necessidade. Nos EUA existem várias opções de insurance, e vc sempre acaba achando um que cabe no seu bolso. Acidentes acontecem, não importa o quão cuidadoso vc é, e como não estou nadando em dinheiro, me previnir do prejuízo financeiro é uma necessidade.

Recentemente, com a conjutivite da Lua nós fizemos o claim para o Insurance, e eles nos deram um cheque com o valor gasto em questão de dias, sem dores de cabeça. Lógico que pago meu insurance orando para não usar, mas sei que em caso de emergência, não vamos precisar nos preocupar com preços, apenas com o cuidado da Lua!!

Wednesday, June 20, 2012

Férias

Não, eu não estou de férias rsrsrs Mas quero explicar um pouquinho da minha frustação com férias por aqui ;)

Bom, férias na terra do Tio Sam é diferente de férias no Brasil. Aqui não existe uma regra de como as empresas devem e se devem fornecer férias, então tudo é feito de acordo com a política de cada empresa e como o contrato que vc fixa com eles. Saudades da CLT hahahaha

Exemplos: Marido tem 4 semanas de férias, o que é comum no Brasil, mas a grande diferença está na forma de distribuição. As férias dele é dividida em 3 blocos, sendo 2 blocos de 1 semana e 1 bloco de duas semanas. Ou seja, durante o ano, as férias mais longa dele dura em torno de 15 dias.  No meu caso, a coisa é mais chata rsrs eu tenho 15 dias de férias por ano :( E é aí que nasce nossas dificuldades...

Pensa assim, temos 15 dias de férias juntos (sempre casamos nossas férias), e minha família, que eu sou super hiper mega blaster dependente, mora no Brasil. Para onde vamos todas as férias!?! Sim, Brasil!! Com 15 dias em mãos, acabamos não podendo curtir muito tempo para nós dois.

Eu amo viajar, sempre amei. Quando morava no Brasil, durante as férias sempre tentava conhecer um lugar novo, mas naquela época eu tinha 30 dias de férias e morava com os meus pais rsrs Agora, tudo ficou tãaaaaaooooo complicado!! Sou muito feliz por eu e marido estarmos empregados, mas as vezes bate uma frustração. Sei lá quando nossos planos de viagem vão poder se ralizar.

Se minha família viesse me visitar, ficaria muito mais fácil, pq aí nos nossos 15 dias de férias não precisaríamos ir para Brasil. Talvez alguém pense, não vai para o Brasil todas as férias, ué?! A verdade é que tenho necessidade de ver minha família sim!! Eu não conseguiria passar tanto tempo longe deles. Sei que um monte de gente o faz, mas quando fiquei 2 anos sem vê-los eu surtei legal rsrs.

Marido tem sido um anjo, e mesmo com a vontade louca de viajar para outros lugares, ele entende e respeita minha necessidade. Lógico que isso não alivia meu sentimento de culpa de não estarmos viajando para outros lugares... Sou complicada para danar né?! rsrs

Obama podia passar uma lei federal para 30 dias de férias para todos!! Eu até passaria a fazer campanha para ele hehehe

Monday, June 18, 2012

Criação

Ser humano não vem com manual de instruções, e não existe nenhum caderninho que nos ensine o método mais eficiente de ser pais. Cada família é uma família, e o que funciona com uma criança, nem sempre funciona com outra. As vezes até mesmo em uma única família vc precisa se adaptar para as crianças que está criando. Não existe fórmula infalível, como seres humanos que são, as crianças são indivíduos, portanto agem como tal! Sinceramente, detesto estes livros que tentam ensinar como ser pais, sério, no tempo da minha mãe não tinha este mundo de livros dizendo o que devemos fazer, e no máximo seguiam-se conceitos passados de geração em geração. Este mundo padronizado traz um monte de frustração para os pais, e muitas crianças com atitudes duvidosas... Mas esta é minha opinião...

Sabe aquela musica "(...) Ainda somos os mesmos, e vivemos como nossos pais(...)", pois é, ainda acho que esta máxima prevalece. A forma que criaremos nossos filhos terá muita influência da forma que fomos criados. Na minha opinião, será um mix das duas famílias que formam a nova família, mais os novos ideais e conceitos que a "sua" família têm.

Na minha casa, com pai militar, sempre tivemos muitas regras. Muitas mesmo hehehe Mas ao mesmo tempo sempre tivemos liberdade de conversar sobre tudo. Meus pais nunca nos privaram de nenhuma resposta, a ponto de alguns considerarem cruel. Por exemplo, Papai Noel nunca existiu na minha casa, meus pais não tinham dinheiro para comprar presentes, então eles sempre acharam que era crueldade acreditar no Papai Noel.

Meu pais sempre acreditaram que era importante eles serem nossos pais, e não amigos. Sempre nos deram confiança e respeito para que nos sentissemos a vontade para falar sobre o que quissésemos, mas nunca achei que meus pais eram meus "Buddies". Sempre me diverti com eles, e tenho memórias maravilhosas, mas enquanto crianças, nossos papéis nunca se confundiram, eles eram os pais, educadores e confidentes, e eu era a filha.

Sexo, nunca foi tabu na minha casa, nem morte, nem bbs, nem nada rsrs Lembro que quando eu tinha meus 9 anos de idade meu pai levou drogas para casa, para que eu e minha irmãs soubéssemos o que era (Eu ainda era nova, mas as minhas irmãs já estavam na adolescência). Alguns podem achar isso extremo, mas meu pai sempre acreditou que a curiosidade era a pior coisa para crianças e adolescente, por isso era mais fácil ele nos mostrar o que eram drogas, do que nós termos curiosidades de ver na rua. Assim também foi com armas. Por ser policial, ter armar em casa sempre fez parte do nosso dia a dia, e ele nunca escondeu a arma, até por uma questão de necessidade. Eu e minhas irmãs nunca tivemos a menor curiosidade de ficar pegando, pq afinal de contas nós já havíamos feito o que queríamos com a arma.

Pois bem, tudo isso (pq não sei como ser breve rsrs) é para relatar uma conversa que tive com o marido recentemente.

Minha irmã está grávida, e o meu sobrinho de 5 anos perguntou para ela como que o bb ia sair de dentro dela. Ela explicou que haviam duas formas, a vaginal e a pela barriga. Eu contei para o marido esta história, dando risada com os comentários do meu sobrinho, quando o marido me interrompe.

M- Acho a dinâmica da sua família tão diferente... (tradução simultânea ativada rsrs)
A- Como assim?
M- Sua irmã ter exlicado para o E., tão novinho, como que os bbs nascem.
A- Não acho que hoje em dia ainda há crianças que acreditem na cegonha...
M- Não estou falando disso, estou falando de ela ter falado sobre a possibilidade do bb sair da vagina...
A- Mas esta é uma possibilidade, pq ela iria esconder dele?
M- Eu so descobri que eu nasci de parto normal quando estava na faculdade de medicina
A- Sério?!!
M- Quando eu era criança, minha mãe me disse que eu havia saído da barriga dela, e eu passei a minha vida inteira acreditando que havia nascido de uma cesárea. Já na faculdade, quando fui perguntar para ela da cicatriz, ela me disse que eu tinha nascido de parto normal. Perguntei para ela pq ela havia mentido, e ela respondeu que não ia falar para uma criança que ele havia saído da vagina dela.

Mas eu ri, ri e muito!!! Não por piada, mas pq consigo ver a cena da minha sogra falando com ele rsrsrs E viva as diferenças rsrs

Monday, June 11, 2012

Sem coragem

Bom, estou criando coragem para voltar a viver dias miseráveis na minha vida... Senta que lá vem história rsrsrs (entregando a idade rsrs)

Meus problemas começaram no dia do meu aniversário de 10 anos, ou seja, quase 19 anos atrás. O meu grande presente neste dia foi minha primeira menstruação. Pessoas, eu era uma criança ok?! Chorei, mas chorei muito!! Fora chorar por conta do trauma, eu chorava de dor...

Ficar menstruada nesta idade, quando nenhuma das suas amiguinhas está nem perto de menstruar é traumatizante. Ser uma menina que gosta de brincar de coisas de meninos tornou a minha menstruação um pesadelo ainda maior, e o fato que eu sofria de dores paralizantes, fez tudo um trauma de vida!! (Drama mode on)

Eu ficava menstruada 8 dias por mês, com muita cólica, e sangrando a ponto de ficar anêmica. Quando digo muita cólica, estou falando de dor que te faz vomitar!! Mês após mês era assim, sem trégua. Quando mestruava, eu precisava faltar dois dias na escola, pq nos dois primeiros dias eu não conseguia me mover, e precisava ficar dopada com medicação. Após estes dois primeiros dias, eu ainda precisava ir para casa mais cedo, pq na maioria das vezes, mesmo usando absorvente noturno, o sangramento era tão severo, que o sangue escorria pelas minhas pernas (nojento, eu sei). Pois é, pensem no trauma que eu desenvolvi?!

A memória ainda está muito viva em minha mente, das milhares de vezes que eu ficava na cama chorando de dor, e minha mãe ficava ao meu lado chorando pq não havia mais nada que ela podia fazer. Tudo que estivesse ao nosso alcance, nós fizemos: Simpatia, acupuntura, massagem, supositório... Tudo mesmo... Comecei anticoncepcional hiper cedo, e mesmo assim, nada mudou.

A primeira vez que vim ao EUA para o meu curso de aperfeiçoamento, para variar, fiquei ruim, perdi dias no trabalho, e como estava em uma casa cheia de médicos rsrs eles me aplicaram uma injeção para tentar me derrubar e ajudar com a dor. Foi muito engraçado, pq estava em uma casa com tanto médico (nenhum gineco rsrs) e eles ficaram horrorizados com o meu estado.

No ano seguinte, quando voltei para trabalhar, eu fiquei alguns meses sendo roommate do marido (mas éramos só amigos), e ele ficou horrorizado das diversas vezes que chegou em casa e eu estava jogada no chão do banheiro vomitando.

Bom, fiquei alguns meses no Brasil, e já cansada de ficar evitando um diagnóstico (por puro medo) fui ao médico e fiz alguns exames de sangue e imagem específicos. Os exames apontaram endometriose, mas este é um quadro que só pode ser confirmado com a laparoscopia, que eu não tinha tempo de fazer, pois precisava voltar para o EUA para trabalhar.

A Laparoscopia não só confirma o diagnóstico, como também já realiza o tratamento, que é o procedimento cirúrgico para a remoção do tecido das áreas afetada.

Pois bem, eu e o meu ginecologista já havíamos tentado algumas vezes cessar minha menstruação, sem sucesso. Mudei de ginecologista, e este finalmente me receitou um anticoncepcional a base de estrogênio que conseguiu parar com o meu sofrimento.

Pq estou falando de tudo isso agora?! Marido e eu estamos criando o tempo para tentarmos ter os nossos pandas (aka, meus filhos hahaha Gente, meu marido é japa com a cara redonda, logo meus filhos vão, com certeza, nascer com cara de panda, então eu e minha família chamamos, carinhosamente, meus futuros bbs de pandas). Voltando ao que importa rsrs O planejamento dos pandas requer que eu volte a cuidar deste meu problema. Para cuidar deste problema aqui, vou ter que recomeçar do zero, ou seja, parar de tomar o anticoncepcional, e a grande verdade é que estou super relutante...

Preciso mesmo começar o tratamento!! A verdade é que minha idade está avancando, e para quem já tem um caso problemático como eu, o fator idade que é um problema para nós mulheres, fica ainda maior no meu caso!!

Não, marido e eu não estamos planejando filhos para agora, queremos em mais ou menos uns 3 anos, mas preciso começar meu tratamento agora. Não sabemos exatamente o quanto meu quadro evoluiu, já que não menstruo em mais de 4 anos. Não sabemos exatamente o que vou precisar fazer para conseguir ter filhos, então tenho que encarar todo o drama agora, mesmo que seja para planos futuros... Ai ai, que eu de verdade não estou preparada para ter minha primeira menstruação de novo :(

Friday, June 8, 2012

O coração derrete

Bom, como todos provavelmente perceberam, sou louca por pets!! Sempre tive, sempre terei e adoro ficar cercada deles. Adoro ir no parque de cachorros com a Lua, e quando meus amigos vão viajar, sou a primeira que eles procuram para cuidar dos pets deles.

Mas talvez uma paixão que nem todos saibam que tenho é crianças. Amooooo crianças. Tenho um sobrinho que é minha vida, e muito antes dele eu já era um grude com qualquer criança que houvesse no meu caminho rsrs.

Quando mais nova, eu trabalhava em uma loja, e a dona tinha um bb, e nós ficamos grudados imediatamente. Ele era recém nascido quando comecei, e quando saí da loja ele tinha 5 anos de idade. Imaginem, nosso chamego era tão grande, que a mãe dele deixava ele ficar na minha casa hahaha E era assim com as crianças dos vizinhos, dos amigos dos meus pais... Desde muito nova, sempre gostei de ficar cercada de pequenos.

Como não consigo chegar logo ao ponto hahaha tudo isso é para falar da filha da minha vizinha. Ela é uma fofa, está com 1 ano e 8 meses, e desde recém nascida fico de babá dela algumas vezes. Às vezes estou sentada na minha sala de estar e começo ouvir a vozinha dela na porta chamando Neenee!! Do mesmo jeito que meu sobrinho me chamava atpe aprender o Aline :)

Pois bem, acho os pais dela ótimos!! Ela é super educada, comunicativa, e desde recém nascida dorme a noite toda hahaha aliás que ela dorme para danar das 21:30 as 10:00 da manhã  hahaha e é super fofo, que eles acostumaram ela a ir dormir sozinha, então quando ela está com sono ela diz night night, vc coloca ela no berço e ela dorme sozinha. Não precisa de colo, não precisa de dança, não precisa de nada...

Agora de verdade rsrs este post todo foi para contar da experiência que vivi com ela ontem. Ela estava aqui em casa, junto com o pai dela.  Ela se encantou com um Macaco de pelúcia que eu e marido temos. Durante as 3 horas que ela ficou na minha casa, ela ficou abraçada ao macaco, levando ele para qualquer canto e brincando comigo de adivinhar as partes do corpo dele. Na hora de ir embora, eu e marido falamos para o pai dela que ela podia levar o macaco. O pai dela foi categórico em dizer não. No colo do pai, ainda abraçada com o macaco, os olhinhos dela encheram de lágrimas, e ela fez a cara do Gato de Botas do Shrek para o pai dela.
From Google Images
Imaginem, marido e eu queríamos dar até as nossas roupas para ela hahahaha (exagero mode on) Explicamos para o pai dela que não tinha problemas, que temos vários animais de pelúcia nesta casa e que ela estava apaixonada pelo macaco, e nós não nos importávamos de ela ficar com ele. O pai dela disse não, olhou para ela e disse (tradutor simultâneo ativado rsrs):
P(ai): L. dá tchau para o macaco e devolve ele para a Neenee e para o Marido.
L. olha para o com os olhos cheios de lágrimas e bico.
P: L. sem manha, entrega o macaco
(Sem tradução pq é mais fofo rsrs)
Após um beijo e um abraço no macaco
L.: Night Night Monkey!!

Lógico que neste momento marido e eu imploramos para o pai levar o macaco com eles, mas ele não levou.

Gente, meu coração ficou na mão hahaha Mas fiquei impressionada com a atitude dela, e apesar da dó que fiquei, entendo a postura do pai. Ele quer ensinar que ela não pode ter tudo que quer, e acho esta uma atitude admirável, mas que eu e marido queremos comprar um macaco igualzinho para ela, isso queremos hahahahaha

Wednesday, June 6, 2012

Sobre a nossa lista de cidades...


Deixa eu elaborar melhor meu top 10 e minhas idéias de onde morar rsrs

Apesar da lista de fatores que eu gostaria que a possível nova cidade atendesse, há os fatores determinantes, e será impossível que uma cidade atenda tudo da minha lista hehe.

Um dos grandes fatores, diria que o principal mesmo, é o hospital. Marido quer um lugar que proporcione um bom treinamento para ele ser um intensivista pediátrico, usando fatores que ele considera importante. Além disso, ele ainda que um lugar possibilite ele a trabalhar com as pesquisas que ele gosta: septiciema e plasmaferese. A Universidade de Michigan, definitivamente, seria o ideal para nós em vários sentidos, mas não temos a garantia que ele será aceito. E pela inerteza, vou trabalhando na minha lista de possibilidades rsrs

Marido até me sugeriu que se ele não entrasse aqui este ano, ele trabalharia como médico em alguma outra especialidade por mais um ano, e tentaria entrar aqui de novo em 2014. Sinceramente, apesar de achar muito fofo da parte dele de me sugerir esta possibilidade (ele sabe o quanto quero ficar aqui), eu recusei na hora. Foram 4 anos de faculdade, e aí ele mudou; 4 anos de faculdade de medicina, e ele mudou(mudamos); 4 anos de residência médica, e possivelmente mudaremos; e mais 3 anos de especialização e possivelmente outra mudança para ele arrumar um emprego... Pôxa, ele merece se assentar em um lugar e eu também rsrs Especialmente com a possibilidade de pandas (AKA: filhos, em outro post explico o pq de pandas rsrs), precisamos criar raízes, quer dizer, eu acho e ele concorda que precisamos criar raízes.

Para nossa mudança, não quero ir ou ficar em uma cidade que atenda as minhas necessidades e não as da carreira dele. Faz tanto tempo que ele vem trabalhando para formar esta carreira, que acho que seria egoísta da minha parte fazer com que ele colocasse tudo no pausa para que eu pudesse viver onde quero. A grande verdade é que no fim eu me adaptarei para aonde mudarmos. Gente, eu mudei de país, o que vai ser mudar de cidade outra vez? Criei minha lista de preferências para podermos guiar nossa pesquisa, mas no final, será sim o local do fellowship que vai determinar em que lugar deste país iremos parar.

Tanto eu quanto ele, estamos dispostos a abrir mão de coisas para acharmos o lugar ideal. É por isso que o nosso top 10 acaba se enquandrando em alguns pontos da minha lista, mas dificilmente em todos.

Outro porém é que é impossível que eu consiga pesquisar sobre todas as possíveis cidades no EUA. Há um ranking para tudo neste país, e tenho usado estes ranking para comparar escolas, custo de vida e criminalidade. Os EUA possui mais de 3000 cidades, e eu jamais conseguiria ler sobre cada uma nos rankings, então se alguém tiver uma sugestão, só me mandar que eu incluo na minha lista de pesquisa ;)

E finalmente, após tanto lenga, lenga rsrs a minha lista (não está em nenhuma ordem específica de preferência, já que a pesquisa dos hospitais de cada lugar depende do marido, que ainda não pôde fazer)

- Boise, Idaho: Cidade de porte médio para pequena; 4 estações distintas; bons índices de criminalidade; e custo de vida razoável.

- Raleigh, North Carolina: Cidade de porte médio; 4 estações definidas mas sem muita neve; criminalidade com bons números para o tamanho da cidade; e custo de vida razoável.

- Omaha, Nebraska: Cidade de porte médio, 4 estações não tão definidas quanto aqui, mas ainda definida; criminalidade razoável para o tamanho da cidade; e custo de vida relativamente baixo.

- Cincinnati, Ohio: Cidade de porte médio para pequeno; 4 estações distintas; criminalidade diminuindo a cada ano; e custo de vida baixo. Apesar de não ser uma das minhas preferidas, já sabemos que lá o programa de PICU (Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica) é muito bom, então ela está na lista.

- Washington, D.C.: Cidade porte médio para grande; 4 estações distintas; criminalidade acaba sendo dividida de forma desigual devido ao tamanho da cidade; custo de vida médio; e já sabemos que o hospital tem um ótimo programa para marido. Ela acaba ficando high na nossa lista.

- Madison, Wisconsin: Cidade pequena; 4 estações distintas; baixa criminalidade; custo de vida baixo; e um bom programa para o marido, por isso tambem está high na nossa lista.

- Seattle-Washington: Cidade de porte médio para grande; clima úmido e chuvoso; baixo índice de criminalidade; custo de vida médio e ótimas escolas... Está na nossa lista, mas ainda não decidimos se marido vai entrevistar por lá. Temos amigos por lá, e eles amam a cidade, mas estamos debatendo sobre o clima hahaha por isso temos que esperar para saber sobre o hospital.

- San Antonio, Texas: Cidade grande; clima quente; bons índices de criminalidade; e ótimas escolas. O custo de vida também é bem razoável, mas aqui novamente o clima é o que acaba nos deixando na grande dúvida. De qualquer forma, ainda precisamos que marido descubra mais sobre os hospitais.

- Colorado Springs, Colorado: Cidade média; clima definido; ótimas escolas; criminalidade baixa, e custo de vida médio para alto.

- Palo Alto, Califórnia- Esta é a cidade mais discrepante de todas as outras rsrs A cidade têm ótimos índices de criminalidade, ótimas escolas, mas é calor para danar e é a quinta cidade mais cara para se viver no EUA. O que ela faz na nossa lista?? Stanford hehe Um grande hospital, com um ótimo programa que não podemos deixar de fora da listinha ;)

- Chicago, Illinois: Cidade grande; clima bem definido; criminalidade média; e custo de vida médio. Não seria uma opção que consideraríamos, não fosse pelos ótimos hospitais de lá.

Enfim, no momento estas são as cidades que estamos considerando. Marido quer aplicar em 10 hospitais, e entrevistar em 6... Até julho, que é quando ele aplica para as entrevistas, esta lista pode mudar. Prometo colocar aqui conforme ela for mudando!

Monday, June 4, 2012

No preparo

Marido e eu estamos na busca dos nossos planos B,C,D... e assim vai, em caso de ele não conseguir fazer o fellowship dele aqui.

Queremos conciliar o máximo do que seria ideal para nós dois (quem não quer né?) e assim começamos nossa pesquisa.

Nós queremos aumentar nossa família, então precisamos focar neste item. Minha pesquisa começou verificando quais eram consideradas as melhores cidades para se ter uma família. Achamos um top 10 :)

Deste top 10, estamos tentando achar as melhores cidades que se encaixam nos nossos critérios, que são:

- Não quero morar em nenhuma cidade muito grande (hey, cresci em SP, já tive minha dose de cidade grande rsrs), e marido é um small town boy, ele surtaria morando em uma cidade muito grande;

- Baixo índice de criminalidade é algo que considero bem importante. Já morei em Cleveland, tô ok com este quesito também rsrs;

- O programa de especialização precisa atender as necessidades do marido;

- Queremos uma cidade com um número razoável de clínicas de fertilidade, pq não quero surtar procurando emprego de novo hehehe

- Custo de vida é um item super importante, principalmetne pq não sabemos quanto tempo demorará para eu conseguir um emprego. Além do que, como queremos ter filhos, precisamos ser bem cautelosos com o custo da cidade que possivelmente moraremos;

- Gostaria de continuar em um lugar que tenha as 4 estações bem definidas, como Michigan;

- Uma cidade com vôos diretos para o Brasil, como  aqui, também seria bem conveniente, mas este não é um fator determinante rsrs; e

- Um sistema de transporte público mais abrangente que aqui, seria legal.

Por enquanto, estes são os itens que estão guiando nossas pesquisas. No momento, Madison e D.C. estão bem colocadas, mas lógico, ainda falta marido verificar os hospitais...

E vamos que vamos que Julho está chegando!!!