Wednesday, March 27, 2013

Minha jornada

Vez ou outra eu recebo email perguntando sobre o K1 ou K2 (tipos de vistos de imigração para o EUA), o problema é que meu conhecimento sobre estes vistos é simplesmente o de ler em outros blogs. Eu mesma não tenho nehuma experiência pessoal com eles.

Eis que então resolvi escrever sobre o meu processo de imigração, que começou em 2007.

Em 2007, eu resolvi fazer um curso de aperfeiçoação na área de reprodução humana oferecido pela Cleveland Clinic no EUA. Para este curso, tirei o visto B1(o menos burocrático de todos os vistos). O hospital me entregou uma carta explicando sobre o que iria fazer por lá, e assim sem nenhuma dor de cabeça, tirei meu visto.

Fiz meu curso bonitinha, e voltei de lá com uma relação bem bacana com o diretor do departamento e também com a supervisora do laboratório. Alguns meses após a volta ao Brasil, recebi a proposta de emprego e de mestrado pela Cleveland Clinic. Admito que demorei um pouco para aceitar a proposta, e no fim decidi aceitar o emprego e ficar no EUA por 2 anos.

O visto de trabalho é o H-1B. Este visto é um pé no saco para aplicar, pois ele precisa ser aplicado com um tempo específico dentro do ano fiscal norte-americano e um monte de blá blá (como tudo da USCIS). No entanto, para este visto eu não cuidei de nada, quer dizer, fiz traduções juramentadas de diploma, fiz exames médicos, mas todos os formulários e taxas foram responsabilidade do hospital. Não tenho muito o que explicar sobre este visto.

Estava trabalhando e vivendo bonitinha quando comecei a me relacionar com o marido. Quase um ano de relacionamento, e o  marido precisava começar a residência médica. Dias e dias de conversas, e decidimos que eu o acompanharia para onde ele fosse. Nasce então o problema. Meu visto era de trabalho, logo, se largasse meu trabalho perderia meu visto.

Enquanto marido estava no processo de entrevistas com os hospitais, eu tbm fui atrás de emprego nas possíveis cidades. O grande problema é que antes do Match day (o dia em que eles descobrem onde vão fazer residência) não há 100% de certeza de onde acabaríamos, logo, arrumar emprego não era assim tão fácil.

Match day chegou, e me desliguei do hospital e nos mudamos para Ann Arbor. Quando vc sai do emprego, a imigração ainda te dá um tempo para sair do país, então aproveitei este tempo para correr atrás de emprego e ajeitar a casa. Naquela época, muita gente sugeriu que ficassemos noivos ou casassemos, mas eu estava decidida que não faria nenhum dos dois.

Apesar de fazer 3 anos que conhecia marido, um ano que estávamos juntos, meses que havíamos mudado para morar na mesma casa, e a certeza que acabaríamos casados; eu nao queria casar. Orgulho bobo?! Muito possivelmente, mas para mim casar naquela epoca seria colocar a "carroça na frente dos bois". Optei por um caminho diferente, e voltei para o Brasil quando meu tempo de permanência expirou.

Procurar emprego estando em outro país, não é assim tarefa simples, demorou, mas consegui. Arrumei um emprego, e fiz tooooooodo o processo de H-1B de novo :)

Passou-se alguns anos e marido e eu finalmente subimos ao altar (do jeito que eu queria), e aí começou o outro caminho de imigração que é o de AOS.

Uma vez no EUA, quando se faz a mudança de visto após casamento é necessário fazer o Adjustment of Status, que significa fazer a troca do seu visto, no meu caso, pelo Green Card temporário.

Este processo fiz toda sozinha :) Li o website do USCIS milhões de vezes, e através deste link aqui
http://www.uscis.gov/USCIS/About%20Us/Electronic%20Reading%20Room/Customer%20Service%20Reference%20Guide/US_Citizens.pdfv  eu verifiquei o que precisava. Após descobrir quais eram os formulários necessarios, eu li e reli todos os formulários e ainda as explicações que acompanha os formulários.

O processo todo é chato. Imigrar para o EUA não é simples, idependente de qual caminho a pessoa escolheu para ser imigrante  (imagino que outros países tbm seja assim). É burocrático, (e generalizando um pouquinho) a maioria dos funcionários da USCIS, apesar de serem estrangeiros (então acredito que eles mesmos passaram por isso) são muito mal educados e quase nada prestativos.

Para o H-1B eu já havia realizado vários exames, mesmo assim eu precisei passar em um médico para o AOS.  Este médico olhou minha carteirinha de vacinação, teste de tuberculose e aferiu minha pressão arterial! Pois é, exame complexo rsrsrsrs

Após enviar todos os formulários, marido e eu fomos chamados para um entrevista que durou 5 minutos. O Agente de imigração perguntou nossos nomes, como nos conhecemos e explicou que nosso caso era simples, e que em 15 dias receberia meu Green Card em casa. O processo todo de AOS, do momento que enviei os papéis no correio ao momento que recebi meu Green Card, foi de 3 meses.

Como comentei no começo, sou uma inútil quando se trata de K1/K2, visto de estudante, ou sobre programa de Au Pair. O meu caminho foi um pouquinho diferente, mas no fim, todas nós expatriadas temos em comum a burocracia que somos submetidos no momento de imigração, a falta de controle da nossa vida durante a imigração. Uma frustração terrível!!

Imigrar é literalmente uma jornada e aqui, de forma resumida, dividi um pouquinho da minha jornada! 

Wednesday, March 20, 2013

Compra de calçados nos EUA

Acho que eu nunca dei dica de nada por aqui né? Para tudo se tem a primeira vez :)

Já expliquei por aqui que eu tenho um "pseudo pé" e já expliquei também que não gosto de sair às compras. Bom, a combinação do "pseudo pé" + ódio por compras, faz com que comprar um calçado vire um verdadeiro pesadelo. Geralmente, encontro algumas opções nas loja Aldo e Nordstrom, mas nem sempre é o que quero ou preciso.

Na época do casamento, na minha busca pelo calçado roxo, eu encontrei o website Zappos.com. Eles vendem de tudo, não é apenas calçados, mas eu até hoje só usei para calçados!

Gosto cada vez mais e mais deste website. Os preços deles é compatível com a maioria das lojas. Eles vendem marcas diversas, e vc pode filtrar a sua busca de várias formas, o que facilita muiiiito na hora de achar um calçado. Além de tudo isso, a taxa de entrega é gratuita! Pois é, vc não precisa pagar um centavo para receber em casa, e se precisar devolver, vc também não precisa pagar o retorno. Eles te mandam a etiqueta com selo já pago e vc pode trocar ou ter total reembolso do que vc pagou. Outra coisa que adoro com eles é que vc tem 365 dias para fazer o retorno do produto. Não tem estress, não tem um monte de perguntas... Aliás vc resolve tudo online, não precisa nem ligar para eles.

Eu mesma, geralmente compro modelos diferentes, experimento e devolvo os que não gosto hehehe quer mais conforto que isso?!

Eu adoro a Zappos, e compro com uma certa frequência, e por isso sou cliente VIP, e quando compro, meus produtos chegam no dia seguinte à compra!! Não tem como nao gostar hehehehe

Nem estou ganhando nada com a propaganda, só queria dividir uma loja que já me salvou diversas vezes! Alguem já utilizou a Zappos?

Tuesday, March 5, 2013

Mais de um ano depois...

E um ano depois, o vestido de noiva de novo ;)

Faz mais de um ano que me casei, e hoje 04.03.13 eu finalmente peguei meu vestido de noiva de volta.

Decidir o que fazer com meu vestido de noiva foi um grande debate. Para muitos a coisa é super simples, eu achei que para mim seria tbm, mas no fim não foi.

Quando comprei meu vestido de noiva, eu estava certa de que o venderia após o casamento. Quando alguém me perguntava, era a minha resposta, sem nenhuma sombra de dúvida, era a coisa mais coerente a ser feita. Para que manter um vestido que nunca mais seria usado? Para que arrumar mais um trambolho para estocar na casa? Tudo isso antes de eu casar.

Eu casei, e tudo mudou! Toda a lógica sobre a utilidade de manter o vestido ainda faz muito sentido para mim, no entanto, me apeguei ao vestido de uma forma que não se explica rsrs Marido está indignado hahahaha

Foram meses tentando me convencer de que deveria vender, pois este era o meu plano inicial e o que mais fazia sentido. Não deu! Cada vez que olhava para meu vestido lindo eu revivia o dia mais lindo da minha vida. Escolhi por mandar preservar meu vestido!

Hoje, depois de 8 meses no processo de preservação, peguei o meu lindo de volta. Ele está em uma caixa selada, todo lindo e branquinho de novo ;) Marido só balança a cabeça hahahahahahaha

Sei lá, pode ser que algum dia eu decida vendê-lo, mas por enquanto, estou apegada demais para cometer uma loucura dessa rsrs