Friday, September 7, 2012

O Poder do Cérebro

Eu tenho total noção do poder do meu cérebro sobre o meu corpo. Meu estress me afeta fisicamente, e eu sei muito bem disso. Meu estress e minha ansiedade me causam sintomas físicos, que hoje sei que são frutos da minha cabeça.

Existe algo chamado Transtorno Somatoforme, que é caracterizado pela presença de sintomas físicos sem nenhum achado clínico que direcione para alguma doença específica. A pessoa com Transtorno Somatoforme não inventa os sintomas físicos, ou sequer tem controles sobre eles. O Transtorno Somatoforme é na verdade um diagnóstico de exclusão, ou seja, se faz várias investigações para tentar correlacionar clinicamente os sintomas físicos à alguma doença. Quando esta investigação falha, considera-se um Transtorno Somatoforme (que têm variações dentro do transtorno, mas não vou entrar em detalhes).

Muita gente já ouviu falar da fibromialgia, certo? A fibromialgia é um Transtorno Somatoforme. Não há uma explicação clínica para as dores que o portador de fibromialgia sentem, por isso a fibromialgia não é considerada uma doença e sim uma Síndrome. É um diagnóstico de exclusão, o paciente tem as dores físicas que não podem ser correlacionadas com nenhuma doença. Na fibromialgia há o conjunto de sintomas específicos, mas não é possível se identificar exatamente o que está causando os sintomas físicos.

Curiosidade rápida, qual a diferença entre doença, síndrome e transtorno?? (Não sou especialista. Aprendi isto na faculdade, mas claro que guardei a explicação básica na mente rsrs, e é o que vou dividir aqui)

Síndrome - conjunto de sintomas e sinais que ocorrem simultaneamente, que podem ser indentificados clinicamente, mas nem sempre determinam uma doença.

Doença - é uma condição onde há alteração do estado normal físico. Esta modificação causa danos, alterando ou interrompendo funções do nosso corpo. O agente desta alteração é geralmente descoberto.

Transtorno - uma abnormalidade do estado físico ou mental

Voltando ao post rsrsrs

Em 2010, eu comecei a sentir uma sensação horrível no peito, super difícil de explicar. Era uma sensação de estar sobressaltada, como se algo estivesse fora de sintonia no meu coração. Reclamei para o marido, que disse que era nada :).

A coisa foi progredindo ao ponto de que quando estava em crise, eu sentia até um pouco de falta de ar. Marido viu que eu falava sério. Auscultando meu coração, ele viu que quando eu sentia o mal estar, era como se meu coração pulasse uma sequência de batimento. Ok, não estava imaginando nada, havia um sintoma físico detectável.

Marquei meu médico, e fiz todos exames do coração que alguém pode imaginar. Tudo mesmo!! Estava lá, meu coração pulava uma sequência de batimentos, mas não foi encontrado nada que justificasse este pulo. Os médicos descartaram tudo que podia estar relacionada a estes sintomas, e a única coisa que sobrou foi ansiedade e estress hehe. Comecei o ansiolítico, e perguntem se as palpitações continuaram?! Claro que não!! Quer dizer, hora ou outra ainda sentia umas crises, mas nem chegava a ter falta de ar :)

Entendam que o Transtorno Somatoforme não é Hipocondria. O Hipocondríaco, também apresenta sintomas físicos (também não são inventados ok?) mas a grande diferença está na postura do paciente. Por conta dos sintomas, o hipocondríaco acredita que ele tem uma doença grave que os médicos estão falhando em identificar. Se preocupar com a saúde é algo que todos devemos fazer, mas tudo tem um limite, e para o hipocondríaco este limite não existe. A pessoa fica tão determinada a achar uma doença, que isto começa afetar o dia a dia da pessoa. O hipocondríaco vai procurar vários agentes de saúde, e sempre vai achar que o que está sendo feito não é suficiente. Deu para entender a diferença?! Espero que sim :) O assunto é muito mais complexo do que esta idéia geral que estou dando, mas com critério, se acha muitas repostas e explicações na internet!

Pq estou falando sobre tudo isso?! Porque eu parei meu ansiolítico. Eu e minha médica já queríamos parar o medicamento faz algum tempo, e agora, com tudo que está acontecendo eu decidi que era o momento perfeito para parar. O marido achou que era meio loucura eu parar agora, mas para mim eu não posso ser dependente da droga pelo resto da minha vida (Olha a preocupação com os Pandas rsrs). O meu transtorno é algo que eu preciso aprender a controlar sem a droga (Gente,  não condeno uso de medicação ok?! O que estou falando é que com o MEU transtorno não é preciso de medição para o resto da vida, ao contrário de algumas outras condições).

No meu caso, apenas usar a droga, eu não estou tratando a causa e sim os sintomas, e preciso tratar a causa. Como agora estou extremamente ocupada com muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, decidi que era a hora de parar, pois o meu cérebro estará ocupado com muitas outras coisas e não vai ter tempo de me causar palpitações rsrs A coisa não é tão simples, eu sei, quero apenas passar por onde meu raciocínio de parar começou.

E o ponto maior de todo o post é que parei o ansiolítico e estou sofrendo de crise de abstinência forte: diarréia, hot flashes, calafrio, náusea e minha exaqueca está constante. Nem o remédio de enxaqueca ajuda. Meus nervos estão à flor da pele. Chorei horrores vendo um pequeno trecho de Americas Got Talent, e briguei absurdo com o meu marido só pq no fim de semana, ele mudou os planos do café da manhã sem me avisar com uma antecendêcia que eu considerava adequada. Sentiram o drama?

Para juntar à tudo isso, tive duas provas na faculdade esta semana, e tenho mais duas na próxima semana. Por conta da dor de cabeça, ler e escrever é um sacrifício, então não tenho ficado no computador além do necessário para a faculdade. Até na hora do banho eu tenho ficado no escuro, a luz incomoda muito. Aos poucos estou melhorando, a cabeça ainda está latejando, mas nada comparado aos outros dias... Ainda não vou conseguir comentar nos blogs que gosto de visitar, pq não quero forçar mais do que já estou forcando, mas eu queria dividir com vcs o pq do sumiço :)  Assim que meu corpo se adptar a falta da droga, eu volto a comentar no blog de todos :)

Gente, quero reforçar aqui que não sou especialista no assunto!! Sou especilista em Reprodução ok?! Tudo que escrevi aqui é baseado no que aprendi, pesquisei e conversei com médicos.

16 comments:

  1. Entendo muito bem, também fui diagnosticada com fibro, e tenho muitos dos sintomas que vc citou. Só que no meu caso eu sempre soube que o stress era a causa. Depois de vários tratamentos, parei meu remédio há alguns meses, e foi trevas, difícil demais, foi tão forte que tinha a sensação de que ia morrer! Ainda bem que durou 2 semanas e passou, mas quero tentar ficar sem também. Bom, veremos, rs.
    Força aí, viu?
    Beijos!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Line, mto obrigada!!! Os sintomas mais fortes duraram duas semanas, assim como vc comentou. Agora estou tendo que lidar com o estress (e seus sintomoas) e dor de cabeça :0 É terrível o quanto ficamos dependente do medicamento né?! Chegou ao ponto de meu marido perguntar se não era melhor eu voltar para o medicamento e tentar de novo em outro momento... Bom, resisti, e estou resistindo ;) Eu sempre tive gastrite nervosa, e com a idade fui descobrindo muitos outros sintomas ligados ao meus estress!! Força para vc também!! Bjuss

      Delete
  2. Aline,
    Desejo que você se recupere o mais rápido possível. Tenho certeza de que o seu corpo vai se adaptar sem a medicação.
    Parabéns pelo início de uma nova faculdade, o que você está cursando?
    Eu fiquei um tempo afastada também, mas queria dizer que o seu comentário no meu último post foi muito especial pra mim.
    Você é uma pessoa muito sensata, sincera e otimista, obrigada por sempre dar palavras de incentivo, comentários construtivos e também assuntos para pensarmos e aprendermos no seu post.
    Tenha um ótimo final de semana e não se sinta pressionada, o blog é um canto da gente aparecer quando der vontade, se encararmos como uma obrigação, não vale a pena continuar!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eliana, muito obrigada pelas palavras tão carinhosas! Estou me readaptando a vida sem medicamento, e estou indo bem (na medida do possível).
      Na faculdade, por enquanto, estou apenas fazendo as aulas básicas. Acumulando créditos... Ainda não sei se vou fazer algum curso novo, mas achei que valia a pena acumular créditos :) Cada pessoa que visito e deixo um comentário faço de coração, e fico feliz que vc recebeu o meu comentário também com o coração :) Novamente, muito obrigada pelo carinho!! Bjusss

      Delete
  3. Aline, desejo que seu cérebro consiga se adaptar sem o remédio e que você se sinta bem.
    Minha mãe teve síndrome do pânico e eu tive depressão leve e sei muito bem como é sentir as coisas e não conseguir controlar, mesmo querendo muito.

    Beijo com carinho :)
    Clau

    ReplyDelete
    Replies
    1. Claudia, os transtornos psicológicos são terríveis né?! É um mal que não deixa ninguém de fora!! Espero que sua mãe esteja bem e totalmente recuperada deste problema tão paralisante, e o mesmo para vc!! Muito obrigada pelo carinho!! Bjusss

      Delete
  4. Aline, minha linda, estou torcendo por ti desde sempre. Eu sei muito bem como é difícil ficar sem esse tipo de medicação pois minha mãe tb toma.
    Fico orgulhosa de vc por ter tomado essa decisão. É um teste. Caso n dê certo, vc pode voltar com a medicação a qlq hora, mas é bom tentar viver sem ela pq não é legal ser "dependente" de nada, né?
    Melhoras pra ti e que Deus dê MUUUUITA paciência ao marido! huahauhua

    BEIJOOOOOS no coração,
    Rebis
    xoxo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Re, muito obrigada, flor!! Este é exatamente meu modo de pensar: se apertar eu volto, mas o ideal é conseguir viver sem :) Muito obrigada pela força e pelo carinho!!! Bjusss

      Delete
  5. Querida desejo a voce uma otima adaptacao, sei como e dificil no inicio quando a gente interrompe uma medicacao, mas isso e um bom passo para sair da dependencia, o que eu acho que e bom como no seu caso que o remedio nao e vital para o bem estar.
    Beijinhos e boa sorte!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Monique, querida, mtissímo obrigada!! Está sendo difícil, mas não é o fim do mundo, e logo logo aprendo a controlar a ansiedade :) Novamente, mto obrigada! Bjuss

      Delete
  6. Oi Aline... espero que você supere essa fase! Sei que é difícil mesmo, o melhor é dar um passo de cada vez e respeitar o ritmo do seu corpo. Dê notícias quando puder... nós entenderemos a sua pausa! Bjs

    ReplyDelete
    Replies
    1. Sandra, muito obrigada pelo carinho!! Aos pouquinhos vou voltando :) Bjuss

      Delete
  7. Aline, caramba! Eu nem sabia de todas essas coisas! Espero que os sintomas da abstinência desapareçam bem rapidinho e que você volte a estar bem muito em breve! Até lá, todas as boas energias do planeta para você guria! Beijocas!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Flor, querida, muito obrigada!! Os sintomas estão melhorando, e tenho certeza que em breve terei melhor controle da minha ansiedade :)! Bjuss

      Delete
  8. Oi! Eu já tive também as dores da fibromialgia por 5 anos.
    Agora estou bem. Fiz um tratamento chamado Lemeterapia e hoje vivo sem dores e sem nenhum remédio. Vale a pena conferir.
    Baixe o livro GRATUITO no site lemeinstituto.com.br

    ReplyDelete
  9. Oi! Eu já tive as dores da fibromialgia por 5 anos.
    Hoje estou bem. Eu fiz um tratamento chamado Lemeterapia. Agora não tenho dores e nem tomo nenhum remédio. Vale a pena conferir! Baixe o livro GRATUITO no site lemeinstituto.com.br

    ReplyDelete