Monday, August 22, 2011

Mudança do sobrenome

Este assunto é polêmico, hoje estava lendo este artigo e achei interessante alguns opções abordada.

O artigo fala que nos EUA, o número de mulheres que mantém seu sobrenome está diminuindo com o passar dos anos, o que achei bastante curioso, pois eu acreditava que era ao contrário.

Eu acredito que há diversas razões que influenciem a decisão sobre mudar ou não o nome, e acredito que esta é uma decisão muito individual. Por sua individualidade, eu acho que este não deveria ser um assunto polêmico, mas enfim, nem todos concordam em discordar.

No meu caso, optei por acrescentar o nome do namorido após casar. Pensei muito, avalie tudo que pude, ouvi a opinião do namorido, mas no fim, a decisão era estritamente minha, pois sou eu quem vou alterar o nome, não ele, e apesar de saber do desejo dele, para mim esta não era uma decisão que deveria tomar baseada unicamente nisso.

Li e reli as opiniões mais diversas sobre o assunto, pq qria ter certeza que a minha decisão era baseada em fatos (que eu acreditasse) e não em uma pressao da sociedade, muito mesmo seguir pq simplesmente "sempre foi assim".

Não adianta, seja qual for sua decisão, sempre vai ter alguém apontando o dedo para dizer que vc deveria ter feito diferente, e por isso foi tao importante para mim analisar todas as possibilidades, por que posso dizer com toda convicção que foi minha decisão!

Para algumas feministas, acrescentar ou mudar o sobrenome é um afronta ao feminismo, o que eu particularmente discordo. Na minha opinião, ser feminista é poder escolher e exercer aquilo que vc tiver vontade, única e exclusivamente baseado em sua vontade, sem importar o que a sociedade espera de vc, seja sua vontade qual for.

Por isso, acho que se a vontade é acrescentar o nome do marido, pq não?? Isso não vai contra a causa da independência feminia, pelo menos, na minha opinião. :)

Tenho uma amiga que sempre argumenta que adotar o nome do marido é ceder para uma sociedade patriarcal onde somos propriedades do marido, minha resposta para ela é sempre a mesma, ela ainda esta exercendo a sociedade patriarcal ao extremo, pois os sobrenome dela é composto apenas do nome do pai, então ela não é propriedade do marido, mas sim do pai. Essa discussão sempre acaba em risadas, pq nós duas sabemos que argumentar com a outra é  apenas entretenimento!

No meu caso, minha decisão em acrescentar o nome do namorido foi baseada em unidade familiar. Sempre tive um apego com sobrenome rsrsrs Eu tenho o sobrenome da minha mãe e do meu pai (bastante comum no Brasil) e qndo criança não abreviava nunca nenhum dos meus sobrenomes, pq achava que se fizesse isso dava a impressão de que amava um menos do que o outro. Pensa nesta criança neurótica?! rsrsrs

Qndo me mudei para o EUA, por questão de praticidade, passei a usar apenas um dos meus sobrenomes, pq americano fica todo confuso com mais de um sobrenome sem hífen hahaha Mas uso um sobrenome, apenas para assinar meus laudos na clínica, pq todos os meus documentos e tudo que requer meu nome legalmente, todos os sbrenomes aparecem direitinho! O que é uma dor de cabeça para o sistema americano, pq em alguns documentos meu nome já fica apertado, com o do namorido, nem cabe hahaha

Quero acrescentar o nome dele, pq como citei antes, acho que isto representara nossa família como unidade. Eu sei que o que de fato torna nossa família uma unidade é nosso feeling e não um sobrenome, mas optei por ter um sobrenome que nos representasse como unidade tbm perante a sociedade, isto é algo que agora, enquanto não tenho filhos, não faz mta diferença, mas acho que qndo tiver um pequeno por aqui a importância será maior. Entendam que esta é minha opinião particular, acho perfeitamente normal quem opta por não acrescentar o nome, e entendo os motivos de quem não o faz, mas estes são os meus motivos e pq o farei.

Nesta reportagem que citei, uma "solução" que alguns casais americanos têm optado é por criar um novo sobrenome, geralmente formado da junção de partes do sobrenome do casal. Acho que, legalmetne, nem é possível tal prática no Brasil, mas achei esta uma solução bastante curiosa.

No meu caso, esta também seria uma opção impraticável, pq eu acho que a minha família será um extensão da família do namorido e da minha, e por isso faço questão de manter meus sobrenomes e que meus filhos tbm tenham os sobrenomes de ambos os lados. Novamente, acredito que o sobrenome nos representará socialmente conectados ao nosso passado, o qual valorizo imensamente.

Sempre fui fascinada em árvore genealógica, e acho que o sobrenome é uma grande representatividade dos galhos que ligam nossas famílias, desde o começo da história, e não gostaria de perder nunca esta conexão. Consequentemente, vou ter um sobrenome gigante para os padrões americanos, mas nem ligo rsrsrs Namorido sempre diz que os amiguinhos dos nossos filhos vão tirar sarro do sobrenome deles, não ligo tbm rsrs vou explicar para eles meus motivos, e se eles tiverem um pouquinho da fascinação pelo passado que a mãe deles têm, eles vão exibir o sobrenome com mto orgulho!!

E vcs, o que vão fazer/fizeram com os seus sobrenomes?

15 comments:

  1. Aline, vou postar rapidinho que ja tenho que mergulhar nos livros hoje. Jesus me acuda!

    Acho interessante esse negocio de mudanca de nome. Eu fiz como no Brasil é feito. Por exemplo, minha mae quando casou deixou o sobrenome do pai dela e tirou o da mae, no final adicionou o do marido (meu pai). Entao eu fiz o mesmo, eu tirei o sobrenome da minha mae e deixei o do meu pai como nome do meio aqui, e adicionei o do meu marido. Pela praticidade hoje eu penso que talvez teria sido melhor nao trocar de nome haha, porque só de pensar na trabalheira que eu vou ter pra trocar todos os documentos quando registrar meu casamento no Brasil, tem muita coisa lá com meu nome, entao vai ser uma complicação só. Mas eu acabei mudando assim mesmo, e penso como você no meu caso quero ter o nome do meu marido assim como nossos filhos por uma questao de identidade familiar. No Brasil já é assim, os filhos sempre carregam o sobrenome do pai (nao sei porque o da mae la nao é tao importante, acho absurdo) mas é assim, ou o povo adiciona o sobrenome do marido no final, ou tiram o sobrenome da mae e adicionam o do marido depois do sobrenome do pai.
    Eu realmente, nao tenho nada contra quem nao colocou o nome do marido, porque como eu disse, se eu tivesse sido mais esperta hah, nao teira colodado. Mas por outro lado, também nao condeno quem adiciona o do marido, ou quem tira todos os sobrenomes brasileiros e fica só com o Americano. Como voce falou, é uma opção pessoal.

    Agora, realmente (veja bem nao estou julgando seus planos) na minha opinião eu nao colocaria todos os sobrenomes nos meus filhos (da minha mae, do meu pai, do marido, da mae do marido, do pai do marido). Aih eu acharia um pouco exagerado. Porque se colocar os sobrenomes da sua mae e do seu pai nos nomes dos seus filhos, eu acho que seria justo também colocar os da mae e do pai do seu marido, entao imagina essa criança assinando um documento??? Aqui nos EUA o que vale mesmo é o último nome, entao nao quero dar essa "carga"aos meus filhos nao. Nao vai mudar o fato de ele ter o sangue da minha familia ou da familia do meu marido. Mas de novo, é só minha opinião. :)

    ReplyDelete
  2. Como você disse, acho esse assunto bem polêmico e não adianta falar que uma solução é melhor do que outra no geral...acho que cada um faz o que é melhor para si mesmo, né?!
    Tendo dito isso, eu escolhi não mudar o nome. Cá entre nós, mexer em Helen Harris seria um crime, né?! (e meu nome é só isso mesmo: Helen Harris. Curtinho, sonoro, nome de artista rsrsrsrsrsrs).
    Durante um tempo, até pensei em colocar um dos nomes do marido, mas descobrimos que não poderia, pois não é sobrenome "de verdade" (Longa história...um dia merece um post...o nome completo dele é THiago Revil Teixeira Ferreira e eu queria somente o Revil, que é como ele se identifica...) O cartório falou que poderia adicionar Teixeira Ferreira ou só o Ferreira. Aí o dilema: Ferreira (sobrenome mega comum) é o sobrenome do meu avô paterno que deserdou minha mãe quando ela tinha 3 anos. Não dá, né?! Até minha mãe tirou o Ferreira do nome dela quando ela casou, não ia colocar no meu...
    Cheguei a ficar bem chateada pois não seríamos uma "unidade familiar" em termos de sobrenomes...mais aí pensei: mesmo se EU mudasse meu nome, nossos filhos teriam MEU nome de casada (Harris + sobrenome do Thiago que tivesse adotado), não seria igual ao do Thiago, pois ele não quis colocar o Harris (e hoje em dia, homem pode sim adicionar sobrenome da mulher legalmente no Brasil), logo, nunca seríamos uma unidade familiar, então parei de me estressar com isso :)
    Porém, fiz o Thiago me PROMETER que nossos filhos terão apenas 1 sobrenome dele e 1 meu, afinal, serão 50% meu e 50% dele em genética, logo, nada mais justo que os sobrenomes representem isso :) Ufa, longa história!
    Aplaudo sua decisão de adicionar o sobrenome do namorido, pois dá um trabalhão mudar os nomes (principalmente aqui, onde não tem espaço nos formulários rsrsrsrsrs). E concordo contigo: essa história de "não é feminista" não cola...Como você bem disse: feminismo é poder fazer o que lhe dá na telha sem pressão da sociedade!
    Beijinhos e boa semana!

    ReplyDelete
  3. Eu acho que essa é uma decisão extremamente pessoal, assim como a definição do que é ser feminista também. Eu sempre me considerei (e sou) feminista, mas não quero ninguém definindo por mim o que ser feminista significa. Eu mantive meu nome de solteira ao casar e adotar o nome do meu marido jamais foi sequer considerado entre nós. Desde que começamos a falar em nos casar eu deixei claro que adotar o nome dele era um no-no e ele entendeu, achou o máximo, porque a mãe dele também não adotou o nome do pai dele. Se ele fizesse questão de eu ter o nome dele teríamos brigado porque eu jamais cederia nisso, mas pelo contrário, ele considerou minha decisão uma forma de manter minha identidade (que não é só meu nome de família, obviamente) e adorou isso. Mais e mais homens (a passos de tartaruga) têm adotado os nomes das esposas ao casar, mas essa também nunca foi uma opção entre nós porque eu acho que nome é o que você herda de pai e mãe. Period. Não de marido ou esposa. Então eu não teria gostado se ele tivesse pedido para adotar meu nome. Na verdade, não ter trocado meu nome tornou minha vida mais fácil porque não tive de trocar documentos ao casar. Ano passado li que os EUA têm uma elevada taxa de mulheres (comparada com outros países desenvolvidos) que optam por adotar o nome dos maridos ao casar, o que a princípio, para uma sociedade desenvolvida como essa, parece surpreendente, mas não me surpreendente tanto assim porque os EUA são extremamente conservadores quando se trata de valores de família: as famílias são geralmente com muitos filhos, tem o lance da religião e os nomes que as mulheres abdicam ao casar. Conheço muito mais brasileiras que mantiveram o nome de solteiras do que americanas que fizeram isso. E aqui elas nem sequer acrescentam o nome dos maridos, elas tiram totalmente o nome de família e fica só com o do marido. Eu acho sim esse um valor extremamente patriarcal e me surpreende o tempo que está levando para se mudar isso. Maaaaaas, é só meu ponto de vista e eu acho que o certo é aquilo que serve pra você, não para o outro. Cada pessoa que troca de nome, por essa ou por aquela razão, tá no seu direito legítimo de fazê-lo e isso não é da conta de ninguém. O que me enche o saco aqui nos EUA é esse conservadorismo/puritanismo. Eu sempre tenho de ficar explicando por que não tenho o nome do meu marido, coisa que jamais tive de explicar no Brasil, por exemplo. Reparei que chamo mais atenção aqui por ter um sobrenome diferente do que dele do que chamava no BR. Só essa estranheza das pessoas já demonstra como essa sociedade é paradoxal. Mas isso é assunto pra um post inteiro...rs... O que importa é o que é apropriado pra você e o que funciona pra vocês dois. Cada um de nós tem nossas razões para fazermos as escolhas que quisermos e isso deve ser respeitado. E este é um país formado por imigrantes, não acho que a combinação do sobrenome dos filhos de vocês vai causar tanto assim. As pessoas se acostumam com tudo e principalmente as crianças. Adulto é que cria problema com tudo, né? Só tratar esse assunto com naturalidade (e sei que vocês irão) que tudo ficará bem. Um beijo

    ReplyDelete
  4. NANI, eu ví sua pilha de livros, menina BOA SORTE!! Tenho certeza que vc vai ir super bem!!
    Nem me fale na trabalheira no Brasil, só de pensar em toda a burocracia eu desanimo um pouco rsrsrs Do nome dos meus filhos, vai ser isso, um sobrenome meu e um dele (a família toda dele usa apenas um sobrenome), mas faço questão que seja sobrenome e não middle name, e é isso que ele faz piada, pq ele acha um exagero dois last name.

    HELEN, hahaha verdade, a sonoridade do seu nome é o máximo! Como comentei no post, acho a coisa mais natural do mundo não acrescentar o nome do marido, e acho importante isso, vc têm os seus motivos para o fazer não estpa penas seguindo uma opinião alheia!Sou como vc, tbm quero tanto o meu sobrenome qnto o do namorido nos filhos, e ambos como sobrenome, nao middle name como o namorido sugeriu no começo rsrs Verdade, vai ser um stress só mudar os nomes em tudo, só com o meu nome sempre tenho dificuldade nos formulários hahahaha Eu sinceramente não conheço nenhum homem que tenha acrescentado o sobrenome da mulher e olha que isto se tornou legal faz alguns anos já, né? O que eu acho que legalemtne não pode no Brasil, é alguns casais americanos em que ambos retiram seu sobrenome oficial e criam um terceiro com metade de cada um, não daria certo para mim, imagina a união de um sobrenome brasileiro com um japonês?? rsrs Bjusss

    ELI, eu super concordo com vc, é uma decisão extremamente pessoal, e não vejo motivo para que algumas pessoas fiquem ofendidas com a postura de cada um. Super entendo seus motivos por não tê-lo feito e acho super justas, e de verdade, deve ter sido muito mais tranquilo não ter que correr atrás de um monte de papelada para mudar o nome rsrs. O K. é meio relutante com esta coisa de sobrenome, ele é muito americano rsrs Acredito que pelo fato do F. ter vivenciado outras culturas faz com que ele tenha a cabeça mais aberta neste sentido, o bom do K. é que ele sabe se eu encuco com uma coisa não adianta brigar, é como o nome dos filhos, a solução dele era que meu sobrenome fosse o middle name e last name fosse o dele, imagina se eu faria isso?? De jeito maneira rsrs segudno ele, não vale discutir, pq se minha opinião está feita é capaz que eu nem engravide só para discordar dele rsrsrs Olha a fama que ele coloca em mim rsrs.
    Bjusss

    ReplyDelete
  5. Olha só q coisa engraçada, quando eu era criança eu tb assinava os dois rsrsrs mas como a minha ligação com a minha mãe é muito forte, eu sempre uso mais o sobrenome dela, até lá no FB.. rsrs. O Wayne sempre quis mudar o sobrenome dele, e quando eu disse a ele q no Brasil homem pode mudar, ele achou lindo e ficou empolgado!! eu nunca pensei no assunto de mudar o sobrenome, a verdade é q eu não ligo muito, o importante é o amooooreeee né rsrs mas se por acaso a gente casar aqui ele muda o dele e eu mudo o eu tb =)
    Isso me lembra alo engraçado. No dia q minha irmã foi casar no civil, eu fui a testemunha dela, e ela e o marido nunca tinham conversado sobre sobrenome, a verdade é q eles são tão ocupados, nem pensaram nisso!! a mulher no cartório perguntou a eles, eles ficaram se olhando, o marido dela disse q pela praticidade era melhor não mudar (eles ñ tem tempo pra nada mesmo, quem dirá pra mudar de documentos kkkkk) e na verdade ele çn queria pq ele é "da silva" e ele não gosta rsrsrs mas ela acha isso uma besteira, sobrenome é sobrenome, então na hora ela decidiu pra mudar pra "da silva" e adorou!! rsrsrs eu achei isso muito engraçado!

    ReplyDelete
  6. Oi Aline, ainda não mudei não. Mas no meu caso é falta de tempo mesmo, e não quero nem ver a confusão que vai dar quando eu mudar com os documentos que eu vou tem que modificar. Mas acho isto bem pessoal mesmo. Beijos

    ReplyDelete
  7. Li teu post lá no trabalho hoje e concordo com TUDO!!! Principalmente a parte da criança neurótica... ;)

    =***

    ReplyDelete
  8. Aline, concordo que esse assunto é bem polêmico e é uma coisa super particular. Honestamente acho que de uma forma geral as pessoas fazem estardalhaço por pouca coisa, aquela velha história de levar a vida privada pro âmbito público. Eu decidi em adotar o sobrenome do marido, foi uma decisão que tomei sozinha depois de muito ponderar sobre vários aspectos. E só de pensar no trabalho que isso vai dar aqui no Brasil dá um desanimooooo..rs.
    Beijinhos

    ReplyDelete
  9. Bem, isso eh uma escolha muito importante.
    Eu optei por usar meu ultimo nome e o nome do marido. Mas na real nem coloquei o hifen nao.

    Ele queria que eu usasse apenas o dele, mas eu tenho uma ligacao muito forte com a familia do meu pai, o qual eh o meu ultimo sobrenome. Eu nao conseguiria me ver sem o meu Vieira rs

    Alem de que a minha filha tem o meu ultimo sobrenome, sem o meu sobrenome seria como se eu nao fosse mae da minha filha.

    Hoje em dia me arrependo um pouco de ter pego o nome do meu marido por um lado, por exemplo: quando tenho que preencher algo online que vem dizendo "first and last" name e eu tenho que colocar o nome do marido eh como se tivesse perdido mais um pouco da minha identidade.
    E digo mais um pouco pois ja perdi uma grande parte quando me mudei para os EUA.

    ReplyDelete
  10. Eu concordo que essa seja uma decisão extremamente pessoal. Eu optei por não mudar meu sobrenome por questões práticas. Além disso, acrescentar o nome do meu marido no meu sobrenome, para mim, não tem valor sentimental, não simboliza nada. Eu quis mesmo evitar uma burocracia desnecessária, ao meu ver.
    Eu gosto dessa liberdade de escolha atual, porque há algunas anos isso não era possível, a mulher TINHA que adotar o sobrenome do marido, mesmo muitas vezes contra a própria vontade.

    Tem gente que troca de sobrenome só pra acrescentar um mais bonito, tem gente que acrescenta porque simboliza união, tem gente que não liga pra essas coisas.

    Seja qual for o motivo, viva a liberdade de escolha!

    Beijos!

    ReplyDelete
  11. Oiii, veio aqui de vez em quando, mas nunca comentei. Também moro nos EUA e tive o maior dilema com a questão do nome quando casei. Adotar o nome do marido nunca foi um problema para mim, mas perder o meu era algo impensável. Queria acrescentar e assim o fiz. Tirei o sobrenome da família da minha mãe (que nunca usei na vida inteira e nem ela mesmo nunca usou) e acrescentei o do Marido. No início eu torcia o nariz para nomes com hifen, mas hoje meus dois sobrenomes andam juntinhos. Facilita a vida ja que americano nao entende dois sobrenomes, nao e? =)

    ReplyDelete
  12. Alinem estou na mesma situaçao que você, numa dúvida tremenda. Mas no caso você ficou com 3 sobrenomes? Porque aqui no Brasi nao se pode mais suprimir nennhum. No meu caso, nmeu nome ficaria Nome + Sobrenome da minha mãe + Sobrenome do meu pai + Sobrenome do meu marido. É praticavel ter um nome desses nos EUA ou só te trouxe incomodaçao? Beijos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Anonima, fiquei sim, com o sobrenome da minha mae, pai e marido. Honestamente, tem mta gente que acha trabalhoso ter sobrenome longo, eu nao acho que tive trabalho, mas tive situacoes engracadas. Por exemplo, no cartao de Social Security nao cabe meu nome inteiro, entao nao consta as ultimas 3 letras do meu ultimo sobrenome. Isto nao me gera nenhuma implicacao legal, ja que no sistema do SS existe uma anotacao de que meu nome nao coube no cartao. Ja recebi cartao de credito que colocou meus tres sobrenomes juntos para que coubessem todos rsrsrs Novamente, nunca tive nenhum problema com isso, ate pq seu cartao de credito nao precisa ter todos os seus sobrenomes. Eu tenho cartoes com um, dois e tres sobrenomes rsrs Em alguns orgaos publicos eu encontrei gente que me sugeriu tirar um dos nomes, mas isso nao me incomodou. Em todos os meus documentos oficiais (habilitacao, green card, social security, carteira de universidade e contratos de compras de casa e carro) eu tenho os 3 sobrenomes, mas coisas cotidianas eu uso 2 sobrenomes so para economizar tempo para soletrar rsrsrs Afinal, alem dos tres sobrenomes, nenhum dos meus nomes sao comuns, entao sempre tenho que soletrar. Quando vc chegar aqui, vc pode colocar sobrenome como nome do meio, se assim vc preferir, mas eu nunca tive nenhum problema por conta de ter os sobrenomes, nao acho impraticavel. Uma outra coisa e' que como o numero de imigrantes da America do Sul aumentou dramaticamente na ultima decada, os americanos estao mto mais acostumados a encontrar sobrenomes longos. Boa sorte e se puder ajudar com alguma coisa, so me escrever! Bjsss

      Delete
  13. Oi Aline.. Vc sabe se o sobrenome do marido deve vir obrigatoriamente no final do nome? Ou posso acrescentá-lo no meio do meu? Obrigada..

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, Thaisinha, não sei te dizer ao certo. Eu imagino que sim, pq vejo o pessoal aqui criar sobrenomes com os dois nomes do casal para os dois usarem após casados, mas não sei ao certo como funciona o processo. Bjss

      Delete