Tuesday, August 23, 2011

Pensamentos

Nos útltimos dias assisti dois filmes, que acabaram me prendendo em um carrosel de comparações.

O primeiro filme, assisti no fim de semana com o namorido, The Blind Side. Já havia assistido este uma vez, mas como o namorido queria ver, eu vi novamente.
From Google Images

The Blind Side é baseado na história real do jogador da NFL (liga profissional de futebol americano) Michael Oher. Michael é um garoto negro, pobre e com problemas de aprendizagem que conhece na família Tuohy, o verdadeiro sentido da família e de ser aceito. A história se desenvolve em Memphis. Não quero estragar o filme para aqueles que ainda não o assistiu mas o gostaria de ressaltar é que a história de Michael ocorreu na década de 90, o que abordarei em seguida qndo fizer o comparativo entre os filmes ;)

O segundo filme é o The Help, que fui assistir ontem com algumas amigas. Super indico, um filme onde vc ri e chora com uma história super envolvente. O filme é sobre a história de empregadas afro-americanas em Jackson-MS no começo da década de 60. A história é contada pelo ponto de vista 3 personagens, sendo duas empregadas negras e uma aspirante a jornalista e escritora, branca.
From Google Images


A história do The Help, por si só, te faz refletir bastante, mas o fato de ter assitido The Blind Side em um período muito curto de tempo, me fez pensar ainda mais em tópicos que estão presentes em nossas vidas diariamente mas que filmes como estes "gritam" para dizer que tão pouco mudou.

Há uma diferença de 30 anos na história dos filmes, é impressionante como o figurino muda, mas o preconceito e a atitude das pessoas não. Sim, nós evoluímos, mas acho que tão pouco que chega a ser assutador.

Em ambos os filmes há uma cena muito parecida, onde há um grupo de mulheres financeiramente estável jantando juntas, e algumas fazem piada de um personagem específico por conta da sua generosidade com os negros. Novamente, um filme retrata os anos 60 e o outro os anos 90, mas as cenas são incrivelmente parecidas.

E não me venham dizer que isto é coisa Holywoodiana, pq a história do the Blind Side é baseada em fatos reais, e a outra tbm usa como base fatos que ocorreram naquela época.

Eu realmente não quero estragar o filme para ninguém hihihi mas gente, no Blind Side mostra alguns guetos, pnde predominantemente estão os negros, e no The Help, eles tbm mostram a parte da cidade onde só moravam os negros.

É como Detroit ou Cleveland, duas cidades onde a maioria massante de habitantes é negra, e infelizmente há muita discriminação.

Fica a pergunta, entre as histórias se passaram 30 anos e pouquissímo mudou, será que algum dia chegaremos a realmente praticar a igualdade?

6 comments:

  1. Infelizmente, acredito que não num futuro próximo. Os EUA inteiros são super segregados. Esse lance de bairro só de negro, igreja só de negro, igreja só de branco... Sem comentários... Mas se aqui é assim, lá no sul é muito pior. Estivemos em Jackson, MS, ano passado e por lá a segregação não é apenas mais visível, como também gritante. Você não vê brancos e negros caminhando juntos nas ruas, nos bares e restaurantes. Em todo lugar a que fomos eu vi negros com negros e brancos com brancos. E o povo é incrivelmente cordial, a vegetação é linda, mas o estado pobríssimo. De um lado os guetos, do outros os imaculados jardins das casas dos bairros brancos. A gente se sente mal. Pronto, fiz discurso. hahaha... Tô doida pra arrumar tempo de ir no cinema também. Beijo

    ReplyDelete
  2. Aline, eu nunca vi esses filmes mas gostei da dica, ultimamente eu tenho sentido falta de um filme assim mais cult, já que agora tá na moda os de super-heróis, nada contra, mas podia ter uma diversificação um pouco maior..rs.
    Infelizmente a humanidade só evoluiu tecnologicamente, porque em aspectos sociais não houve grandes mudanças. O que acontece agora é a história do politicamente correto, o preconceito e os problemas existem mas ninguém fala ou age pra melhorar isso, já que não dá lucro e não tá na moda, aliás está na moda dizer que não é racista, agora agir em prol da causa é outra história. Os EUA sempre foram um pais segregacional, mas no mundo todo existe isso, e parece até clichê mas e na África? Se agente analisar os problemas de lá agora, são os mesmos de 30,40 anos atrás e muitos outros. Mas ainda infelizmente não é interessante suficiente trabalhar a melhora da vida deles e muito menos trabalhar para o fim do racismo pelo mundo.
    Beijinhos

    ReplyDelete
  3. Quero muito ver The Help. E vou com a Eliane. No Sul a segregação ainda é muito forte e não é só branco e negro não. É geral: brasileiro anda mais com brasileiro, latino com latino, asiático com asiático, branco com branco e etc.

    Aqui negro casar com branco é tabu!

    Mas se o negro casa com qquer outra nacionalidade, não é. O mesmo vai com o branco.

    Não entendo esse povo, sinceramente.rs!

    ReplyDelete
  4. Me deu curiosidade para ver esses filmes! adoro essas histórias!
    Sabe q nesse fds eu tava conversando com m a amiga sobre essas coisas. Ela é negra, morava na favela, e fez uma faculdade boa aqui. Ela me contou várias histórias de professores que duvidavam da capacidade dela. É triste ver essas coisas no Brasil (aliás, em qualquer lugar, né). O pior é q essas coisas não estão longe dos meus olhos... tem umas pessoas na minha família mesmo q não se dizem preconceituosas, mas já fizeram cada comentário na minha frente, é de partir meu coração. Eu acho qq tipo bonito, branco, preto, amarelo, azul rsrsrs. Se Deus tivesse me dado um "da melanina" ao invés de asiático, eu ia ter q aturar essas coisas, mas acho q essa situação até me daria o prazer de "esfregar" na cara dos outros o preconceito deles.

    ReplyDelete
  5. Oi Aline,
    Otima dica aqui! Vou ver o Filme da decada de 30 que ainda nao vi, o outro, gostei muito.

    Aqui na Carolina so Sul nao e diferente do que voce disse nao, pessoas na mesma cor ou mesma etinia procuram estar sempre proximas umas das outras. Ja percebi algumas olhadas aqui por conta do meu relacionamento com o Ryan. Fiquei ate constrangida quando fui a escola da filha dele (podiamos contar em uma mao quantas pessoas negras tinham incluindo eu).

    Beijoo
    =**

    ReplyDelete
  6. OI Aline,

    Eu ja assisti Blind side algumas vezes e gostei mt, falta o segundo. E se vc indicou, aposto q eh bom tb!rs

    Esse ponto q vc comentou eh bem extenso, eu ja sofri preconceito em um bairro em NJ e confesso q fiquei com medo... por mais q pensam q isso eh tabu, esse negocio existe for real!!!

    bjs

    ReplyDelete