Monday, June 18, 2012

Criação

Ser humano não vem com manual de instruções, e não existe nenhum caderninho que nos ensine o método mais eficiente de ser pais. Cada família é uma família, e o que funciona com uma criança, nem sempre funciona com outra. As vezes até mesmo em uma única família vc precisa se adaptar para as crianças que está criando. Não existe fórmula infalível, como seres humanos que são, as crianças são indivíduos, portanto agem como tal! Sinceramente, detesto estes livros que tentam ensinar como ser pais, sério, no tempo da minha mãe não tinha este mundo de livros dizendo o que devemos fazer, e no máximo seguiam-se conceitos passados de geração em geração. Este mundo padronizado traz um monte de frustração para os pais, e muitas crianças com atitudes duvidosas... Mas esta é minha opinião...

Sabe aquela musica "(...) Ainda somos os mesmos, e vivemos como nossos pais(...)", pois é, ainda acho que esta máxima prevalece. A forma que criaremos nossos filhos terá muita influência da forma que fomos criados. Na minha opinião, será um mix das duas famílias que formam a nova família, mais os novos ideais e conceitos que a "sua" família têm.

Na minha casa, com pai militar, sempre tivemos muitas regras. Muitas mesmo hehehe Mas ao mesmo tempo sempre tivemos liberdade de conversar sobre tudo. Meus pais nunca nos privaram de nenhuma resposta, a ponto de alguns considerarem cruel. Por exemplo, Papai Noel nunca existiu na minha casa, meus pais não tinham dinheiro para comprar presentes, então eles sempre acharam que era crueldade acreditar no Papai Noel.

Meu pais sempre acreditaram que era importante eles serem nossos pais, e não amigos. Sempre nos deram confiança e respeito para que nos sentissemos a vontade para falar sobre o que quissésemos, mas nunca achei que meus pais eram meus "Buddies". Sempre me diverti com eles, e tenho memórias maravilhosas, mas enquanto crianças, nossos papéis nunca se confundiram, eles eram os pais, educadores e confidentes, e eu era a filha.

Sexo, nunca foi tabu na minha casa, nem morte, nem bbs, nem nada rsrs Lembro que quando eu tinha meus 9 anos de idade meu pai levou drogas para casa, para que eu e minha irmãs soubéssemos o que era (Eu ainda era nova, mas as minhas irmãs já estavam na adolescência). Alguns podem achar isso extremo, mas meu pai sempre acreditou que a curiosidade era a pior coisa para crianças e adolescente, por isso era mais fácil ele nos mostrar o que eram drogas, do que nós termos curiosidades de ver na rua. Assim também foi com armas. Por ser policial, ter armar em casa sempre fez parte do nosso dia a dia, e ele nunca escondeu a arma, até por uma questão de necessidade. Eu e minhas irmãs nunca tivemos a menor curiosidade de ficar pegando, pq afinal de contas nós já havíamos feito o que queríamos com a arma.

Pois bem, tudo isso (pq não sei como ser breve rsrs) é para relatar uma conversa que tive com o marido recentemente.

Minha irmã está grávida, e o meu sobrinho de 5 anos perguntou para ela como que o bb ia sair de dentro dela. Ela explicou que haviam duas formas, a vaginal e a pela barriga. Eu contei para o marido esta história, dando risada com os comentários do meu sobrinho, quando o marido me interrompe.

M- Acho a dinâmica da sua família tão diferente... (tradução simultânea ativada rsrs)
A- Como assim?
M- Sua irmã ter exlicado para o E., tão novinho, como que os bbs nascem.
A- Não acho que hoje em dia ainda há crianças que acreditem na cegonha...
M- Não estou falando disso, estou falando de ela ter falado sobre a possibilidade do bb sair da vagina...
A- Mas esta é uma possibilidade, pq ela iria esconder dele?
M- Eu so descobri que eu nasci de parto normal quando estava na faculdade de medicina
A- Sério?!!
M- Quando eu era criança, minha mãe me disse que eu havia saído da barriga dela, e eu passei a minha vida inteira acreditando que havia nascido de uma cesárea. Já na faculdade, quando fui perguntar para ela da cicatriz, ela me disse que eu tinha nascido de parto normal. Perguntei para ela pq ela havia mentido, e ela respondeu que não ia falar para uma criança que ele havia saído da vagina dela.

Mas eu ri, ri e muito!!! Não por piada, mas pq consigo ver a cena da minha sogra falando com ele rsrsrs E viva as diferenças rsrs

13 comments:

  1. Meus pais também sempre foram pais, não amiguinhos... E eu concordo que a gente eh como fomos criados...
    Na minha casa não haviam tabus... Eu sabia desde muito nova que minha mãe queria muito ter tido parto normal, mas que na hora H ela não dilatou e teve que ser cesárea... Alias, quando eu tinha 12 anos ela me fez ver um parto normal.. hahhaa.a.

    Traumas eternos..

    hahahhaa

    Nos morávamos numa comunidade meio hippie e uma das mulheres teve sua bebe ali, a moda antiga... Com as outras mulheres ajudando... E eu vendo...

    ReplyDelete
    Replies
    1. Luana, com 12 anos assistir um parto ao vivo e a cores?! Isso que é matar curiosidades rsrsrs Vc deve ter histórias hiper interessantes da comunidade que vc morou!! Bjuss

      Delete
  2. Ai Aline, ri muito!!!!

    Minha mae tb nao gostava de conversar sobre essas coisas...aprendi sobre menstruacao, parto, essas coisas na escola, livros, e tv acredita?

    bjinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Belinha, a minha sogra tem vergonha de falar dessas coisas até hoje rsrs Meus pais sempre foram hiper abertos neste sentido, mas lembro de amiguinhas que as coisas eram mais retraídas, e aí eu me sentia a espertona explicando as coisas para elas rsrsr Bjuss

      Delete
  3. Hahaha!! OLha,eu estou com vc e sua irmã. Voto na sinceridade total com crianças....hihihihi....afinal, é melhor ouvir de casa do que depois desocbri na escola com os amiguinhos, haha!!
    beijo!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tacia, eu acho este método bem eficiente, afinal de contas, meus pais criaram 3 meninas super conscientes da vida. Sabe que quando eramos adolescentes, meu pai chegou a ouvir que da forma "Livre" (olha que a gente nem podia sair de casa para fazer as coisas, mas para algumas pessoas, meu pai ser honesto era nos dar liberdade) que ele nos criava, com 14 anos todas as filhas dele ficariam grávidas sem saber quem era o pai. E lógico, provamos para estas pessoas por a+b que ser sincero não significa libertinagem!! Bjuss

      Delete
  4. Meus pais serem foram sinceros e os papeis sempre foram bem definidos nunca ninguem la em casa confundiu pais com amigos dentre outras coisas. Assunto sexo tambem nunca foi tabu, sempre soube que nasci de parto norma, na minha cabeca nao tem nada demais em explicar acho que manter a curiosidade ativa e mais perigoso. Mas poxa so marido descobriu isso na faculdade?? wow, ponha diferenca cultural nisso...rsrsrs...talvez sua sogra seja muito timida, e ai deve ser dificil falar disso.
    Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Monique, pois é, minha sogra é extremamente tímida, e não fala destas coisas rsrs Alias, que vem da cultura dela não ter estas conversas "pessoais"!! Por isso que eu até consegui ver a cena na minha cabeça rsrs Bjuss

      Delete
  5. Ai Aline, morri de rir com a história do seu marido. A criação de filhos tem uma mistura enorme de cultura e da própria criação dos pais. Deus nos ajude a criar os nossos, é o que sempre peço.
    Concordo contigo que não há receita de bolo para ter um filho lindo, educado. Aqui nos EUA tem duzentos milhões de livros dando conselhos do que fazer e do que não fazer. Acho alguns até válidos para nos dar uma idéia e base (como por exemplo, como educar uma criança bilingual), mas outras coisas... sem comentários...
    Aqui nos EUA a maioria dos pais querem ser amigos dos filhos e bom, o resultado a gente vê por aí.
    Eu aprendi muita coisa na escola, porque a minha mãe tinha vergonha de contar as coisas pra gente, mas eu sabia que tinha nascido de cesárea e as minhas irmãs de parto normal, apesar de nunca saber o que isto significava...
    Um extremo que presenciei foi a minha chefe mostrar um filme de parto em casa para o filho de 4 anos. Sério, eu achei aquilo uma loucura, mas depois entendi os motivos dela, afinal, ela iria ter um em casa e queria preparar o menininho. Eu mesma não teria coragem de assistir, mas ele levou super de boa. Ah crianças...
    Tenha uma ótima semana!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Eliana, eu sou meio pé atrás com estes livros prontos. É o que vc falou, acho interessante ler para ter uma base, mas algumas pessoas lêem estes livros e acham que eles são a bíblia de como eles e os filhos devem agir, e aí a gente vê um povo super frustrado e crianças terríveis!! A criancada e mto mais esperta e ligada nas coisas do que a gente pensa, eu vejo as coisas que meu sobrinho de 5 anos fala e fico embasbacada!! Achei bem interessante o metodo da sua chefe, fez bastante sentido o que ela fez!! Bjuss

      Delete
  6. Aline,

    Tambem sou a favor da sinceridade, apesar de ter rcbido uma criacao tabu. Acho lefal tambem quando a crianca tem curiosidade. Por exemplo, minha irma cacula com uns 7-8 anos pegou um livro na biblioteca sobre o funcionamento do corpo e de onde vinham os bebes. Dai, minha mae sentou pra explicar a ela.
    Bjo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Beth, pois é, eu acho que a curiosidade faz parte da gente!! Tudo que é novo nos gera curiosidade, e principalmente para crianças, há de se ter o cuidado para que esta curiosidade não a leve para caminhos mais obscuros!! No caso da sua irmã, foi mto bacana, a cruiosidade levou ela a levar algo para dentro de casa e sua mãe sentou-se com ela para explicar!! Bjuss

      Delete
  7. Hahahahaha..morri de rir Aline. Eu fiquei imaginando seu marido te contando isso...kkkk.
    Olha, eu concordo com vc. Tbm acho a sinceridade a melhor coisa, mas tbm acho q tudo depende da idade e da capacidade da criança enteder. Pq tbm as vezes falamos algo q eles não entendem muito e acabam ficando mais curiosos..hehehe.
    Bjokas!

    ReplyDelete