Friday, July 15, 2011

As vezes é muito difícil

ATENÇÃO: Post fala de um acidente familiar de forma bastante gráfica.

Sempre fiz minhas escolhas na vida, e procuro não me arrepender por elas. Tento ver tudo pelo maior número de ângulos que posso imaginar, e com isso tomo minha decisão.

Vir morar no USA foi uma decisão consciente; fiquei meses debatendo, afinal, smepre fui a garotinha da família. Entre eu e minhas irmãs eu era a única que estava sempre com os meus pais, não importa onde eles estivessem e não importava minha idade. Sempre carreguei meus namorados nesta minha fixação familiar rsrs Por isso que quando anunciei minha mudança, foi um choque para muitos que rodeavam minha família.

Sempre fui assim, hiper conectada com a família, eles sempre foram minha prioridade.

Alguns anos atrás meu pai comprou uma chácara (sonho de infância), sem dinheiro, eu, ele, meus tios, minha mãe e meu namorado nos juntamos para, aos poucos, ir montando a casa. Em um belo dia, meu adorável pai estava trabalhando no forro da casa, e serrou a mão com uma serra circular. Eu estava  do lado de fora, e minha mãe me gritou na hora. Quando entrei na casa, o sangue estava jorrando (ele havia cortado uma artéria) e a mão estava pendurada pela pele. Eu e ele fizemos um torniquete, e junto com meu ex-namorado procuramos o hospital mais próximo. Entendam que não conhecíamos a área, a chácara do meu pai é no meio do nada, não existe nem telefone na área, e nem é asfaltada. Rodamos por quase 15km até a área onde o celular tinha sinal, e liguei 190, pedindo para que uma viatura me encontrasse para me mostrar onde ficava o hospital. Não havia hospital próximo, apenas um posto de saúde há 25km de onde encontramos a viatura. Não foi possível fazer muitas coisas no posto, ele deram alguns pontos na artéria para estancar o sangue, mas ele precisava ser tranferido. Enfim, só estava lá eu e meu ex-namorado e fui eu quem acompanhei meu pai de volta para SP para fazer a cirurgia. Minha mãe só conseguiu chegar no outro dia, e o mesmo com as minhas irmãs.

Meu pai precisou ficar uma semana no hospital, e durante esta uma semana fui eu quem fiquei com ele. Eu nunca havia faltado na faculdade, e para ficar com ele no hospital, eu perdi uma semana de aula. Minha mãe poderia ter ficado, mas eu simplesmente não conseguia sair de lá. Hoje a mão dele recuperou completamente, foi reimplantada e a cirugia foi um sucesso, a mão ficou um pouco mais fraca que a outra, mas para quem viu como estava no dia do acidente, desacredita do quanto a mão dele está perfeita.

Segunda-Feira, dia 18.07.11 meu pai fará uma cirugia. Foi detectado um tumor nas cordas vocais, cuja as chances de ser um cancer é extremamente alta. O prognóstico, mesmo em caso de câncer, é bastante positivo. Este é um câncer com baixissíma incidência de metástase, e geralmente com cirugia consegue se remover tudo. O problema, é que com este tudo, vai se a voz. Os médicos não conseguem dizer com que precisão a voz do meu pai será afetada, mas qualquer coisa na voz dele será um big deal. A verdade é que a voz do meu pai carrega muito de sua personalidade, voz forte, grossa e imponente, e perder isso não será fácil. No entanto, minha maior frustração é que não estou lá, e para ser bem sincera é nestas horas que penso que posso ter feito uma grande besteira em ter deixado minha família. Tentei sair de licensa do trabalho, mas por conta dos dias q tirei quando o meu sogro morreu, e os dias para o casamento no fim do ano, eu já extrapolei minha cota de longe. Já conversei com o namorido, e talvez simplesmente abandone meu trabalho para ir ao Brasil, mas esta não está sendo uma decisão fácil. Não foi assim tão simples achar o emprego que estou hoje, sou a supervisora do lab, e perder esta posição e salário não é assim tão fácil de jogar para o alto.

Não tenho dormido muito bem, minha cabeça parece que vai explodir de tanto pensamento, e ainda me sinto péssima pq sei que o namorido está se sentindo culpado por eu estar aqui, sendo que talvez, se não fosse por ele eu já tivesse voltado para o Brasil faz tempo... Enfim, no momento sinto que  toda a culpa do mundo está na minhas costas, sei que é meio drama queen, mas não consigo evitar. Gostaria de estar com meu pai, e por mais que ele diga que não quer que eu vá, sei que ele e sentiria melhor se eu estivesse lá...

Ahhhhhhhhhhhhhhhh!!

10 comments:

  1. Aline,nossa que triste...Nem sei o que dizer querida,siga seu coraçãozinho que a gente acá ta mandando nesse momento muitas vibrações boas!Que ocorra tudo bem nessa cirurgia!Que jeová abencoe todos ,beijos

    ReplyDelete
  2. Oh Aline, menina que situacao. Olha, entendo seu sentimento de culpa perfeitamente. Eh normal. Eu passei por isso com meu pai. Uns meses atras (quando pedi para orarem por ele) meu pai teve um surto psicotico e tentou se matar. Gracas a Deus nao conseguiu, mas foi parar no hospital, ficou lah por uma semana, nao reconhecia ninguem, tava mal mesmo. Eu soh soube depois que ele jah estava em casa, em recuperacao. Minha mae sabia que se tivesse me contado antes me deixaria preocupada e nao teria nada que eu pudesse fazer aqui de longe, a nao ser rezar. Mesmo assim foi o maior susto da minha vida. Tambem comecei a me sentir culpada, de nao estar lah perto do meu pai numa epoca em que ele estava mal, em depressao, passando por muito stress... vieram todos esses sentimentos, e pensamentos. Mas Aline, meu proprio pai me fala: filha, a gente tem que estar preparado pra certas eventualidades na vida. E eh verdade. Eh dificil, mas nao se sinta culpada. Nao eh nossa culpa. Os nossos pais (se seus pais forem como os meus, e pelo que vi sao bem parecidos) querem que sejamos felizes. Eles sabem que estamos felizes aqui, que estamos lutando pelo nosso futuro, que encontramos uma pessoa com a qual agora formaremos uma familia tambem.

    Voce jah pensou em pedir uma folga no servico pra ir ve-lo pelo menos por umas 2 semanas? Mesmo que seja apenas 10 dias... jah seria algo muito importante pra ele. Geralmente os empregos entendem essas situacoes. Bryan teve que ficar 2 semanas de folga por causa de uma emergencia na familia dele no Arizona uns meses atras tambem.

    Do fundo do coracao, torcerei e orarei para que de tudo certo na cirurgia e na recuperacao dele.
    E oro tambem para que seu coracao consiga se acalmar. Beijo Grande

    ReplyDelete
  3. Oi Aline! poxa, eu admiro pessoas como vc, q conseguem tomar decisões tão boas no caso de um acidente grave como foi o do seu pai. Eu sou uma songa monga, se deixar caio desmaiada tb. Se bem q essa situação nunca aconteceu comigo, então sendo com uma pessoa amada a gente sempre busca forças de alguma forma.
    Poxa, muito triste ouvir isso do seu pai. Mas acho que perder a voz é menos pior do q audição ou visão. E ele, é aposentado? se ele fosse do mundo corporativo, seria muito ruima readaptação, mas nesses casos, ser militar ou funcionário público ajuda muito. Vou ficar orando pela sua família!!
    O caso do seu pai me lembrou de uma amiga minha. Ela sempre teve a voz meio rouca, e como ela trabalha na indústria farmacêutica e conhece vários médicos, eles foram dizendo a ela q ela precisava ver o problema da voz rouca. Aí, como quem não quer nada, ela fez os exames, e tinha um nódulo pq as cordas vocais dela eram de um formato específico que batiam uma nas outras formando o nódulo ao longo dos anos. Eles foram claros, se ela não fizesse uma cirurgia, aquele nódulo poderia se transformar num câncer. Parece q só há 2 médicos aqui no Rio habilitados a fazer essxa cirurgia, e depois disso ela ficou ótima, a voz de pato donald sumiu!! fiquei muito feliz por ela, mas se não fosse os médicos ela não teria tomado o procedimento correto!
    Quanto ao seu emprego... acho que talvez não tenha sido à toa que Deus tenha aberto seu caminho para morar aí. Tem hora que não adianta estar perto, a única coisa que podemos fazer são preces a Deus. Acho que é bomq vc mantenha seu emprego, pq vai q sua família precise de suporte financeiro?
    Ah, conselho como paciente...Não sei como é na sua família... mas todas as vezes que estive internada e precisei de cirurgias, alguns parentes meus queriam ficar ao meu lado o tempo todo, mas para mim toda aquela super proteção era muito ruim. Tantas e tantas vezes eu preferia ficar só. É claro q o tempo todo só é ruim, mas o tempo todo com gente desesperada no meu pé achando q por estar do meu lado está me ajudando... isso na verdade não ajuda.

    ReplyDelete
  4. A Aline que situação! Deve ser muito difícil para você, espero que consiga tomar essa decisão. Vou orar pelo seu pai para que dê tudo certo!!! Meu pai passou por uma cirurgia grande, ele tinha um tumor na cabeça e antes da cirurgia fomos informados que provavelmente ele teria sequelas grandes. A cirurgia foi um sucesso, e hoje meu pai está super bem! A única sequela foi que ele perdeu o olfato. Ele não sente cheiro de nada....mas ficamos felizes com toda a recuperação. Estou orando por vocês!!! Fuquem com Deus, beijinhos!

    ReplyDelete
  5. Força, Aline!
    Assim que terminei o mestrado cheguei a correr atrás da papelada pra ir pro Canadá, mas na reta final desisti por não conseguir ficar longe da família [minha mãe tem 11 irmãos + agregados + meus primos, todos juntos pelo menos uma vez por semana. Já viu, né?].
    Não sei se posso dizer o que eu faria no teu lugar, porque não tive "decisão" o bastante nem pra ir. Acho que eu já teria vindo pra casa, viu?

    Te cuida e fica com Deus! Vai dar tudo certo!

    ReplyDelete
  6. Aline,

    Tudo que posso te dizer é força e reze bastante para tudo dar certo. Eu vou estar rezando por ti e sua família também.

    Ano passado minha mãe teve câncer no esofâgo, foi horrível para todos nós, ficamos desesperados meu pai super preocupado teve quase um ataque cardíaco, e antes da cirurgia da minha mãe fiquei com ele no hospital.

    No caso da minha mãe, foi diagnósticado câncer, mas sem mestastáse apesar de já estar bem avançado pois ela já apresentava sintomas e perdeu muito peso. Nossa minha mãe estava irreconhecível, eu estava nos EUA e quando vi ela entrei em choque, foi muito triste. Meu pai foi por tudo e achou um ótimo médico, ele viaja para tudo quanto é pais para fazer este tipo de cirurgia o que nos deixou bem confiantes.

    Bom eles refizeram um novo esofâgo a partir do estômago da minha mãe, foram um total de nove horas. A recuperação foi bem dolorosa pois ela não podia comer e nem beber nada por dias, quase um mês tudo na base da sonda até cicatrizar interiormente o que demora muito mais.

    Quando assinamos o documento para a cirurgia, também estava escrito que poderia ocorrer dela perder a voz. Mas graças a Deus, foi um sucesso minha ficou curada, recuperou o seu peso e nem quimio precisou.

    Eu entendo o quanto este desesperada, eu ficaria na mesma situação minha família é tudo para mim.

    Eu acho que se você explicasse no seu laboratório que é um caso urgente, que envolve seu pai e explicasse a situação e como tu sente, eles entenderiam. Aline acho que vale muito a pena tentar, se você não pediu a eles.

    No mais estou torcendo para que tudo de certo e que a cirurgia seja um sucesso e vai ser. E força ai, depois deste momento díficil todos iram ficar felizes e mais fortes.

    Beijos

    ReplyDelete
  7. Achoq a Nani tá certa, não tem do q vc se culpar. Acho q vc está nos EUA não só por escolha, mas achoq Deus abriu as portas a vc com algum porpósito! vai dar tudo certo, vamos ficar orando por vc!ver experiências boas como a do pai da Tacia tb nos dão força!

    ReplyDelete
  8. Aline,
    A culpa nao e sua flor. Como alguma das meninas citaram acima, acredito que se voce esta ai hoje e porque era para estar. Eu nao acredito muito em coencidencias e acho que tudo o que acontece conosco com nossas vidas, ao nosso redor, nao e fruto do acaso. Enfim linda, a decisao so cabe a voce agora, aja com o coracao e nao se culpe se nao estiver ao seu alcance, seja qual for a sua decisao. Irei orar por voce para que o seu anjo da guarda te ilumine seja qual for o caminho que voce escolher e pelo seu pai para que ele passe por esta cirurgia e se recupere rapidamente sem sequelas!

    Te cuida,
    beijo
    =**

    ReplyDelete
  9. Nossa Aline, que situacao dificil!

    Acho q eh normal se sentir culpada por nao estar la, eu nao tenho a chance de ir ao Brasil qdo alguem da minha familia nao esta bem e me sinto mal por isso tb. MAs como as meninas falaram, nao eh culpa sua, tente ajeitar para ir, mas se nao der, fique em paz, ore por ele somente, pq Deus ja esta cuidando dele com certeza! Dara tudo certo!!

    um gde abraco,

    Bela

    ReplyDelete
  10. Aline querida, com certeza é uma situação difícil e por ser seu pai, um membro da família que você ama tanto. Não se sinta culpada, os pais criam filhos pra vida, não pra eles, e você estar ai, é a consequência de portas que foram se abrindo, então seu namorido também não pode se sentir culpado. Eu concordo com que a Caliane falou, é importante pensar bem na decisão de largar seu emprego, de repente eles podem precisar de algum suporte financeiro, e tem outra de repente você poderia ir depois da cirurgia, no período de repouso por exemplo. Bem eu sei que quando estamos de fora é muito fácil falar, afinal não estamos sentindo nada e nem dentro da situação. Mas vou orar por você, para que consiga uma boa decisão e que de tudo certo na cirurgia do seu pai. Força você não está sozinha, tem muita gente por aqui torcendo por vocês.
    Beijinhos

    ReplyDelete