Sunday, July 10, 2011

Senta que lá vem história...

AVISO: Post gigante rsrs

Eu me casarei na Capela da PUC em São Paulo, que é uma igreja católica romana.
A religião na minha vida é algo bastante complexo. Cresci em uma família religiosa, o lado da minha mãe, todos católicos, do meu pai protestantes. Quando criança fui batizada na igreja católica, pois a religião era mais importante para a minha mãe do que era para o meu pai.

Meus pais nunca me obrigaram a frequentar absolutamente nada. Eles me explicaram no que eles acreditavam, mas sempre deixaram o caminho aberto para que procurássemos aquilo que nos enquadrasse melhor.

Sou e sempre fui curiosa, sempre quis saber o pq das coisas, nunca superei esta fase de criança rsrs Para tudo nesta vida eu preciso de um entendimento mais completo, de respostas que nem sempre as pessoas estão dispostas a dar. Este foi um dos motivos que escolhi a biomedicina, onde as doenças e o corpo humano são estudados no pormenores, onde tudo é analisado de diversas formas e exaustivamente.

Com religião não foi diferente, meus pais me explicaram o que eles acreditavam e tinham aprendido, mas não era suficiente para mim, eu precisava de outras respostas, e precisava entender algumas diferenças entre religiões. Foi assim que comecei a estudar religiões, eu não sou uma profunda conhecedora, mas eu diria que tenho uma experiência bastante grande neste setor. Eu li sobre as mais diversas religiões, e vistei outras tantas. Eu qria experimentar, saber o pq acreditava ou não no que estava sendo dito. Acredito que isto não me fez nem mais nem menos religiosa que outras pessoas, diria apenas que me deu um certo conhecimento de causa para as minhas crenças. Não diria que sigo religião nenhuma, toda a minha curiosidade me levou a acreditar que eu não preciso de um título, apenas a minha fé.

O namorido é agnóstico empírico. No começo do nosso relacionamento tivemos algumas desavenças sobre os nosso credo, mas hoje a visão dele mudou consideravelmente, tendo em vista que foi possível que eu apresentasse à ele uma visão sobre religião e fé que até hoje ele não tinha conhecimento.

Sim ele mudou, mas não tinha certeza que o suficiente para aceitar casar na igreja católica por mim; uma escolha que fiz baseada no ritual do casamento na igreja católica, ritual este que têm muito significado para mim. Enfim, com a cara e a coragem sugeri o casamento na igreja católica e ele aceitou sem hesitar!! Ele não sabia onde estava amarrando o burrinho dele rsrs.

Para um casal celebrar o sacramento do matrimônio, é necessário que este faça um curso de noivos. No Brasil (me corrijam se estiver falando besteira) este curso é realizado em um fim de semana, onde vários casais com casamento marcado vão se reunir e ter palestras com casais em vários  momentos de seus casamentos, é feita também uma reunião com o padre e é dada entrada em toda a documentação. Eu iamgino que há diferenças entre uma igreja e outra, mas acho que a idéia geral é esta.

Bom, na Terra do Tio Sam, o curso de noivos é um pouco mais complexo (também há variação entre uma igreja ou outra, mas o contexto geral é o mesmo). Vc deve dar entrada para o curso de noivos com aproximadamente 9 meses de antecedência (3 meses no Brasil).

O primeiro passo é uma reunião com o Padre que irá conduzir o seu caso (como vou casar no Brasil, não é o padre que irá celebrar o nosso casamento). Nesta reunião, o padre nos explicou todos os outros passos do curso e fez uma entrevista comigo e meu noivo separados e depois juntos, fez milhões de perguntas sobre os mais diversos aspectos, e preencheu milhões de formulários. Nós ficamos 3 horas com o Padre.

O Segundo passo é um questionário chamado F.O.C.C.U.S. Eu e o namorido ficamos em salas separadas e respondemos as mesmas perguntas (são perguntas objetivas) sobre os mais diversos aspectos do relacionamento e de como vemos o outro. Este questinário levou uma hora para ser respondido.

O Terceiro passo, é o chamado o We C.A.R.E, onde por dois dias (Sexta de noite e Sábado de manhã), junto com outros noivos, nós nos reunimos com duas assistente sociais que são conselheiras matrimoniais, e discutimos diversas formas de comunicação no relacionamento. Esta foi uma parte do curso de noivos que gostamos bastante, pq de fato eles nos mostraram ferramentas que podem ser utilizadas em momento de discussões que impedem erros de comunicação e interpretação, prevenindo que uma briga se torne em algo muito pior. Foi bacana q eles ressaltaram q não existe relacionamento perfeito e nem fórmulas secretas para impedir brigas, mas a forma que vc lida com ela é fundamental para o bem estar do relacionamento. Eu e o namorido sempre fomos mto aberto e trabalhamos bem em resolver nossas discussões, mas ainda assim aprendemos muito neste curso.

O Quarto passo é o retiro de casais, que foi o que fiz este fim de semana. Nós fomos para um retiro católico junto com outros 20 casais de noivos e dois casais palestrantes que estão casados por muitos anos. Este retiro foi bastante focado no catolicismo, e um tanto quanto casantivo. Os casais compartilhavam suas histórias pessoais, nos entregavam questões relacionadas ao tópico discutido, separavam homens e mulheres para responderem as questões e depois cada casal ia para um quarto separado para dialogar sobre as questões respondidas. Isto foi um tanto cansativo, pois era um cosntante vai e vem, escrevemos muito e para nós (outros casais tbm reclamaram) faltou um pouco de dinâmica. Fizemos isso por todo o fim de semana, só chegamos em casa hoje (Domingo as 19hs). Acho que este passo foi o mais cansativo para nós, pq muitas das questões que eles nos fizeram discutir eram coisas que eu e o namorido já havíamos discutido. Achei o conceito do curso bastante interessante, posis ajuda os casais a refletirem sobre alguns assuntos que não são todos que pensam antes de casarem. A idéia do curso é fazer vc ter um maior entendimento dos valores, conceitos, planos e expectativas do seu parceiro, algo que alguns casais esquecem de falar antes do grande dia, e aí, após alguns anos no casamento eles descobrem que estão remando para lados diferentes, e consequentemente não estão chegando a lugar algum.

Eu e o namorido sempre nos posicionamos muito bem sobre o que acreditamos e o que queremos, acho que isto se deve em parte, ao fato te termos um relacionamento intercultural, onde queriamos entender melhor a visão e posição um do outro na vida.

Eu ainda não passei pelo Quinto passo, pois literalmente acabei de voltar do retiro ;). O Quinto passo consiste em mais uma reunião com o Paadre, onde apresentaremos todos os certificados, minha certidão de batismo e onde discutiremos as nossas respostas do questionário FOCCUS.

Após todos estes passos, finalmente poderemos enviar toda a documentação para a Igreja no Brasil e enfim teremos a autorização para casarmos na Igreja católica. O processo aqui é longo, e requer um comprometimento um pouco diferente do curso no Brasil, algumas coisas eu achei bastante positivas, outras um pouco desnecessária, mas acima de tudo, todo este curso me mostrou o quanto o namorido se preocupa com o que eu quero e acredito, pq mesmo sendo agnóstico ele esteve do meu lado durante todo o processo, e isto é priceless!

16 comments:

  1. Jesuuuuus! E eu que achava muita coisa o curso de um dia!
    Eu sou daquelas católicas de batizado e missa de 7º dia, sabe como? Apesar de já ter "pesquisado" outras religiões, vi que é na católica que me encaixo mesmo... E Elmo é "um rapaz das ciências". Não concorda com muita coisa da igreja, mas aceitou o casamento como manda o figurino por ser importante pra mim.

    Demos sorte, nós duas, não? ^^

    =***

    ReplyDelete
  2. Que bonito isso! acho lindo quando duas perspectivas diferentes lidam com as diferenças com amor. Me lembrei da minha irmã. Ela é evangélica e o noivo dela é católico. A igreja onde ela queria casar exigia que ele fosse batizado numa igreja evangélica, então eles acabaram optando pelo casamento católico, minha irmã é batizada na católica tb e ela não se importa. Só que o noivo dela, apesar de católico, está tão impolgado que insistiu que queria uma cerimônia evangélica também. Eles vão ver em qual igreja, acho que vai ser numa batista. Eles gostaram bastante do curso de noivos, eram umas dinâmicas de grupo como vc falou, mas parece que o procedimento aqui é menos burocrático que aí rsrs.
    Pra mim, minha crença é a minha paixão número 1 desde o momento em que optei por essa escolha, que para mim foi uma surpresa beeeem imprevista na minha vida. O bofe tb é agnóstico, e por anos a gente tinha brigas feias, nunca tentei convencê-lo de nada mesmo, mas as brigas eram sempre pq pra mim eu e minha crença são coisas inseparáveis, e ele dizia q eu queria colocar Deus entre nós. Mas hj ele lida bem com isso. Acho q ele não se importaria com um casamento religioso, mas vendo todo esse logo processo aí, acho que ele ia chiar bastante rsrs achoq não ia dar muito certo! rsrs
    Que Deus abençoe a união de vcs, acho q a cerimônia religiosa tem um significado para Deus tb, q isso tudo enriqueça mais e mais vocês dois!
    Bjs e boa semana!

    ReplyDelete
  3. Wow Aline, que legal vocês casarem na igreja, mesmo ele sendo agnóstico. Wow, quantos cursos! Muito interessante tudo o que vc explicou, acho muito legal esses cursos para casais. Ryan e eu somos protestantes, e na minha igreja também tem curso para noivos...imagina eu indo sozinha pro curso, hahaha....
    Beijinhos e bo asemana! Tacia :)

    ReplyDelete
  4. Poxa que legal o relacionamento de vocês. Também considero super importante conversar de tudo, e é claro saber lidar com problemas, parece uma coisa simples, mas no dia a dia isso é bastante complicado de ser aplicado. Esse curso de noivos é longo mesmo, mas tem o lado bom de fazer o casal refletir em aspectos que talvez antes nem tenha passado pela cabeça.
    Beijinhos

    ReplyDelete
  5. Oi Aline!
    Que legal essa formacao que eles dao antes do casorio! Tudo que envolve uma reflexao do casal e os diferentes pontos de vista de cada na consrucao de um relacionamento mais saudavel, para mim e super valido! A gente aprende muito com essas dinamicas! Que bom que o seu noivo concordou e participou de bom grado com voce, esta ai mais uma prova de amor!
    Bom, eu sou espirita e o Ryan e agnostico, como aconteceu na sua familia nunca fui obrigada a frequentar os cultos e quando ia sempre ia de bom grado! Tenho vontade de fazer este curso como forma de adquirir mais conhecimento, nao sou preconceituosa com nehuma crenca ou religiao, cada uma tem a sua visao e acho isso super importante!

    Beijo
    =**

    ReplyDelete
  6. Nossa, que processo longo, nem imaginei que fosse assim! Eu sou atéia, o F. é agnóstico, mas eu casei com padre (da Igreja Católica Brasileira) para agradar minha mãe. Pior é que o F., mesmo sendo agnóstico, queria o tal padre porque achava bonito e tradicional. Foi um estresse pra mim e eu cedi, o que não deveria ter feito porque me causou muito ressentimento e hoje eu jamais teria concordado com uma cerimônia religiosa. Quando fizermos nossa renovação de votos definitivamente não haverá um padre e o Oliver vai ser educado no ateísmo. Aí se quando ele crescer quiser virar crente, católico, macumbeiro, muçulmano é com ele, mas o estresse de fazer o que eu não gosto, que me incomoda, só para agradar os outros, isso eu não faço nunca mais. Um beijo

    ReplyDelete
  7. Oi Aline,

    Acho super importante que o seu noivo participou de tudo. Acho estes cursos muito legais e você aprende muita coisas essencial sobre o casamento e sobre a pessoa que você esta casando.

    Nos somos católicos e nos encontramos com um Padre muito legal, tinha um coração enorme, queria muito que ele fosse o Padre da nossa cerimônia, mas infelizmente ele se mudou para a Califórnia.

    Que bom que vocês já passaram por todo este processo e esta cada vez mais pertinho do dia. =)

    Beijos

    ReplyDelete
  8. CALI, flor, eu acho isso super importante, saber respeitar e colocar o amor acima de tudo, pq afinal de contas. Achei muito bacana a forma como sua irmã e o novo estão lidando com a situação deles, muito bonito, os dois estão preocupados com o que importa ao outro e dispostos a encontrar o melhor para ambos, muito lindo mesmo! Cali, com o namorido nossas brigas iniciais eram mais sobre a forma que ele fazia piada sobre alguns comentários dos outros. Mas ele aprendeu a respeitar a fé alheia, e também aprendeu muita coisa sobre religião, pois ele tinha um conhecimento bastante limitado. Ele nunca me questionou ou reclamou da minha fé, quanto a isso nós somos bem sintonizados! Fico feliz que vcs tenham encontrado a paz para vcs, e que ele entendeu o valor da fé para vc!! Bjuss

    TACIA, eu achei algumas partes do processo todo interessante, algumas um tanto massante, mas acho importante que tenhamos feito! Poxa vida, que coisa vc ter que fazer o curso sozinha, essa nossa vida de relacionamento internacional rsrs Bjusss

    MONIQUE, eu acho diálogo fundamental, cresci em uma família onde todo mundo falava demais rsrsrs e namorido é o oposto, mas consiguimos equilibrar bastante nosso relacionamento neste sentido, pq eu estava smere cutucando ele rsrsrs O processo todo foi meio cansativo, mas tiveram seus pontos positivos sim. Fico feliz de ter participado, mas que eu reduziria a cargo, isso eu reduziria rsrsrs Bjuss

    JO, penso exatamente como, jamais julguei ou acusei ngm por nenhuma religião, e tbm nunca obriguei ou cobrei uma posição do namorido, até pq nem eu mesmo seria capaz de dar um título para a minha fé rsrsrs. Acho o curso bem bacana em vários aspectos, e qndo vc vier para cá, vcs dois podem fazer sim, mesmo que vcs não vão casar na igreja católica, o curso é aberto a todos. Chama engagement encounter, é só procurar on line que vc provavelmente achará na cidade onde vc irá morar! Bjusss

    ELI, o processo por aqui é longo sim, muito mais longo que no Brasil. Eu não sou super religiosa, ainda questionoo milhares de coisas. Escolher casar na igreja católica foi algo feito baseado no ritual do matrimônio que acho muito bacana, e também pela minha mãe, sei o quanto isto a fará feliz. Vc está certissima em não querer fazer sua renovação com uma cerimônia, especialmente se isso é algo que de forma alguma faz sentido para vc. O K. não se sentiu pressionado em momento algum, eu até sugeri para ele fazermos o sem a presença de um padre, mas após explicar o rito para ele e o significado para mim, ele disse que para ele não faz muita diferença! Acho muito bacana vc pensar desta forma para quando o Oliver vier, sou extremamente grata aos meus pais por nunca terem me feito frequentar ou acreditar em absolutamente nada. Minha fase de questionamento da religião começou quando tinha 9 anos de idade, então imagina, não tinha autonomia de absolutamente nada rsrs. Ainda assim, meus pais me levaram aonde eu pedia, podia ser de qqr religião, e ainda me ajudavam procurando livros entre os amigos, sou eternamente grata a esta postura deles! Bjusss

    ReplyDelete
  9. VAN, eu tbm fico muito feliz que o namorido tenha embarcado nessa comigo, relacionamento é isso mesmo, concessões e adaptações ;) O curso realmente têm coisas proveitosas, outras nem tanto, especialmente para mim e para o namorido que já dissecamos tantos assuntos diferentes. Mas percebi que em muitos casais por lá, principalmente para os mais novos, houveram várias descobertas. Poxa, que pena que o Padre que vcs se identificaram não está mais por aí, vc já se reuniram com outro Padre? Bjusss

    ReplyDelete
  10. Comentário boboca, mas sabe que eu lembrei daquela cena do batizado, no "Casamento Grego"? ^^
    Como diz meu tio, Elmo deve ser "ateu, graças a Deus"... =)

    Beijos!

    ReplyDelete
  11. Nossa parece aquele filme do Robbin Williams, mas olha se todas pessoas passassem por isso talvez o numero de casamento e divorcio the flash diminuiria, porque pra passar por tudo isso tem que ter certeza mesmo que quer ficar juntos e alem do mais isso eh uma forma legal, um boot camp pra quem vai morar em outro pais por exemplo pq se a relacao for de cinderela qdo passar o encanto imagina soh o q rola.. Achei bem legal a parte de discutir sobre relacionamento. Acho q eh diferente e q se eh pra ajudar, excelente, mas que o processo eh longo.. eh. Boa sorte e felicidades bjusssss

    ReplyDelete
  12. Oi Line,

    Menina que processo hein?!! Eh mais extenso que consulado..heheh Fico feliz que voces estao conseguindo conciliar uma coisa tao complicada como essa: religiao e que legal que seu namorido a respeitou e esta indo along com tudo que deve ser feito. VAi ser lindo seu casamento!!!

    Um grande beijo :)

    ReplyDelete
  13. Aline, que bom que ele concordou em casar na Igreja Católica e vocês estão fazendo tudo isso juntos (a melhor parte).
    Eu não sabia que a parte religiosa tinha todos esses procedimentos. Não sou católica, mas acho a cerimônia na Igreja muito bonita.
    Boa sorte com o final desse processo. Vai dar tudo certo e você terá um casamento lindo!
    Beijo

    ReplyDelete
  14. CATH, verdade, eu tbm acho que se todos fizessem uma análise do relacionamento antes de embarcar na aventura, os números de divórcios não seriam tão assustadores. Mto obrigada, a caminhada é longa, mas estamos fazendo a juntos ;) Obrigada, bjusss.

    BELA, pois é, a coisa é mais longa do que imaginei rsrsrs Mas vamos indo rsrs Mto obrigada, bjussss!

    FE, verdade, sou mto grata e feliz por ele ter embracado nessa comigo rsrsrs sei que as vezes a coisa não é tão fácil para ele, mas fico mto feliz que ele está fazendo de coração ;) Obrigada, bjusss

    ReplyDelete
  15. E o fotógrafo que a gente contratou coleciona carros antigos, cê chegou a ver no outro post? Ficou felizão quando comentei! =D

    ReplyDelete
  16. Olha, curso de noivos apesar de ter umas partezinhas chatas faz uma diferença demais qdo a gente se casa.Vai ter coisas que vc ou que ele vão fazer depois de casados e vc vai se lembrar: nossa, bem que o padre disse isso!

    Eu acredito demais que o curso de noivos é fundamental pq assim o casal não cai de pára-quedas em terreno desconhecido.Ótimo saber que teve coisas super positivas que puderam somar para o relacionamento de vcs.

    Na fé protestante tb passamos por curso de noivos.

    Sucesso no quinto passo!

    ReplyDelete