Friday, May 11, 2012

Mal acostumada. Será?!


Este processo todo de tonsilectomia me fez confirmar uma coisa, morar longe da minha família é uma grande merda hehehe

Sei que várias pessoas moram longe da família e estão mais do que acostumadas e adaptadas a passarem por coisas médicas sem ter eles por perto, mas os eventos da minha cirurgia foram uma tortura tanto para mim quanto para a minha família. Já fiquei doente várias vezes desde que moro no EUA, mas é a primeira vez que vivi algo desta magnitude. Por conta disso, a tonsilectomia foi a prova dos dez para ver que não somos muito bons em ficar longe em momentos delicados.

Vamos a dinâmica da minha família :) Para todo mundo entender, minha família é daquelas que se um passa mal, todo o resto vai para a casa da pessoa para que ela não precise se preocupar com mais nada, além de melhorar.

Um exemplo: Quando meu sobrinho estava com 9-10 meses de idade, minha irmã (que não é a mãe) escorregou na escada com ele no colo. Ela tentou protegê-lo de todas as formas que pode, mas ele acabou trincando o fêmur :(. Eles foram para o hospital, e meu cunhado no caminho ligou para meus pais e para mim. Enfim, no período de uma hora, em plena manha de Quarta feira útil, a família inteira estava no hospital. Todo mundo largou seus correspondentes trabalho para estar no hospital com a minha irmã e meu sobrinho.

Outro exemplo: Quando meu pai cortou a mão com a serra elétrica, após a cirurgia de re-implante ele precisou fcar uma semana hospitalizado. Nesta uma semana eu fiquei no hospital com ele, e minhas irmãs iam para lá todos os dias para passar as tardes com ele. (Eu sei, dá a impressão que minha família é de desocupados rsrs mas não, é que fazemos mil jogos de cintura para podermos estar uns com os outros).

Como vcs podem ver, eu e minha família temos essa co-dependência rsrs Qualquer coisa que acontece, lá se vai a família inteira para dar apoio, ajudar com a casa... Sempre que vou ao Brasil e decido ir a um médico, geralmente meu pai vai comigo.

Desta vez, aqui longe de todos, fiquei bastante sozinha, e meus pais também se sentiram super frustrados. No dia da minha cirurgia, eu precisava estar no hospital as 5:30 da manhã, e aproveitei para escrever um email para os meus pais avisando que estava a caminho do hospital e que quando saísse da cirurgia eu ligaria para eles. Na mesma hora recebi um email resposta para que entrasse no skype, pois eles já estavam acordados esperando por mim.

Quando fui internada com a hemorragia, após estar com o sangramento controlado, liguei para eles. E lógico, eles ficaram em pânico pq não estavam aqui comigo. Eu fiquei bastante tempo no hospital com eles via skype, pq eles não queriam me deixar sozinha rsrs

Quando voltei para casa, a mesma coisa, eles ficavam no skype praticamente o dia inteiro, assim eu não me sentia sozinha, já que o marido não estava em casa.

A minha recuperação, para mim, foi complicada. Passei por todo este processo doloroso, e me senti sozinha sim. Marido fez o que pode, mas trabalhando 80 horas por semana, fica difícil me fazer companhia ou ajudar na maioria das coisas de casa. Tive amigos queridos como a Eli, que me deu muita força, mas ainda sim, foi difícil não ter meu papis e minha mamis por aqui... Marido disse que sou mimada, por isso que senti tanto a falta dos meus pais. Não acho que sou mimada, apenas esta foi a dinâmica que cresci, sempre estivemos dispostos a largar tudo um pelo outro, e agora a distância nos limita muito neste sentido, e é impossível para nós não nos sentirmos frustrados, e principalmente, com um aperto gigante no coração pq sabemos que esta não vai ser a última experiência que teremos neste sentido. Será que vamos nos acostumar??

18 comments:

  1. Entendo que com uma familia com a sua dinamica essa distancia e uma cirurgia sao terriveis, nao acho que voce e mimada, cada familia tem seu jeito de ser e de viver e voce tem esse jeito que foi criada. Mas independente disso e horrivel a gente ta doente, operar e ainda por cima ter alguma complicacao e nao ter ninguem da nossa familia perto, nao se sinta mal por isso e assim mesmo. Espero que voce melhor em breve.
    Beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Monique, florzinha, eu finalmente posso dizer que estou quase 100%!! Eu sempre falo para o meu marido, eu até entendo que ele veja minha relação com a minha família como uma dependência, mas eu gosto rsrs Gosto do fato que "dependemos" tanto uns dos outros!!! Mto obrigada pelo carinho!! Só espero conseguir me adaptar melhor com a distância nestas horas :( Bjuss



      çú à Á é É õ ã ê Ê í ô ó áâ

      Delete
  2. Oi Aline... compreendo perfeitamente vc.
    Minha família também é assim. E já cansei de ouvir que sou mimada. hihihi
    Mas quer saber? Graças a Deus que nós temos pais maravilhosos assim, né?
    Achei lindo eles fazendo companhia pra você no Skype.
    Como vc está se sentindo? Está melhor? Está tomando bastante sorvete?
    Manda notícias.
    Um beijo e fica com Deus!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Érica, a mais pura verdade, temos que dar Graças à Deus que temos pais tão cuidadosos!!! Eu estou me sentindo mto melhor, diria que quase 100% boa :) Na verdade eu quase não estou tomando sorvete rsrs Coisa mto gelada incomoda, então só quando a dor aperta um pouquinho, que eu enfio um sorvete na boca para anestesiar!! Mto obrigada pelo carinho, flor!! Bjuss

      Delete
  3. Ai Li, que saco mesmo é morar longe! Nossa, essa recuperação dessa cirurgia realmente é um pesadelo, e só faz a gente querer nossa família, né? Eu quando fico doente sou uma chata. E só minha mãezinha me entende.
    Espero que vc melhore muito muito, rapidinho, e que a gente acostume a viver longe nessas situa;cões...xii, acho que vai ser difícil, =(.
    Beijo, querida!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tacinha, eu sou super dependente da minha família rsrs Preciso falar com eles todos os dias, ou não fico bem. Juntou carência pós cirurgia e a distância rsrs a dependência ficou ainda maior. Nada como nossa mãe e nosso pai para nos entender nestas horas né?! Espero mesmo que consiga me acostumar, mas até lá fiz um trato que não faço mais nada se eles não vierem para cá rsrs (Quem dera conseguisse fazer isso mesmo rsrs)Bjuss

      Delete
  4. Nao eh questao de mimo, e sim de "care". Carinho, amor. Isso na familia da gente eh algo incondicional.Aline, tb senti isso sabe. No Brasil quando tive minhas cirurgias eu estava longe do Bryan, na epoca fiquei p da vida, queria estar perto dele, aqui na minha casa e tal. Mas Bryan nao teria sido nem 5% do que minha familia foi pra mim no Brasil. Minha mae dormiu no hospital comigo todas as noites, e ficou lah comigo o dia inteiro. Quando precisava sair ela chamava minha madrinha pra ficar comigo. E assim foi. Em casa, minha mae fazia de tudo por mim, meu pai tb tadinho. E o carinho... nao existe nada melhor que carinho e cuidado de pais. Meu marido vive dizendo que eu sou uma fraca pra dor, que eu sou hipocondriaca. Se eu ficar doente com ele aqui I might as well bater a cabeca na parede. Eles realmente nao entendem.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nani, exatamente!! É um cuidado diferente né? Que só pai e mãe sabem dar para a gente!! Sabe que eu até acho que meu marido meio que me mima quando estou doente, mas por conta do schedule dele a coisa fica mto difícil!! Esta semana mesmo ele trabalhou 98hs, ou seja, quase nunca estava em casa... Aí fica eu e a Lua cuidando uma da outra rsrs Bjusss

      Delete
  5. Realmente, ficar sem mamae nao é nada facil...
    fazem 7 meses que nao vejo a minha...
    qualquer tossezinha eu ja ligo para ela desesperada...
    nao eh nada facil... sniff

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ai Débora, eu vejo os meus pais apenas uma vez por ano, e é uma tortura :( Eu falo com eles todos os dias pelo skype, ou meu dia não é dia rsrs Bjuss

      Delete
  6. Eu arrisco dizer que sim, a gente se acostuma. Pelo menos eu me acostumei. Minha família parece com a sua onde a dor de um vira a dor de todos e na primeira gripe que tive longe deles, eu chorei feito criança. O tempo foi passando, outras condições médicas surgiram ao longo do caminho e eu fui me adaptando. Continuo achando que seria maravilhoso ter colinho de pai e canjinha de galinha da mãe quando fico doente, mas já não sofro tanto como sofri no início. Mas a minha mãe continua se frustrando do mesmo jeito até hoje porque gosta de estar perto paparicando, rs... =) Melhoras pra vc, querida!! bjss

    ReplyDelete
    Replies
    1. Barbarella, estou contando com isso rsrs Há esperanças para mim!! Família faz uma falta tremenda né?! Mto obrigada, querida! Bjuss

      Delete
  7. Aline, pensei tanto em ti e nos teus pais...
    Uma vez (numa das minhas crises de sinusite) chorei falando com minha mãe no Skype. Parece frescura, mas é tão ruim não ter minha mãe por perto qnd fico doente...
    Tu vai pensar q sou louca, mas teve uma vez q melhorei depois de conversar com minha mãe. Ela me passou calma, sabe? Já faziam 8 dias q eu tava de cama, ao conversar com ela, me senti bem cuidada, amada... no outro dia, saí da cama e senti até fome!

    HJ a gente tava conversando e decidimos q eu vou pesquisar p saber se dá p eu ir pro Brasil ter filho. Sério mesmo. Nem grávida eu to, mas a gente tava falando sobre isso... Se n precisar tirar visto pro bebe, se n tiver um monte de papelada, quero ter filho no Brasil, com ela me apoiando. Se n der, ela vem p cá!
    Não há NADA mais acolhedor do q nosso próprio "sangue", né? uahauahua

    Melhoras, minha linda!
    Beijo na Lua e em ti!

    Rebeca
    xoxo

    ReplyDelete
    Replies
    1. Rebeca, vc é uma fofa!!! Super entendo vc. Não te acho louca não. É a forma que estamos acostumadas!! Família tem um peso mto grande para a gente. O ano passado, quando o pai do meu marido faleceu, era 7hs da manha quando recebi a notícia, e a primeira pessoa que liguei aos prantos para me acalmar, foram meus pais. Eu não sei qual a burocracia para poder ter o filho no Brasil, então já combinei com os meus pais que se um dia ficar grávida, eles vão vir para cá e ficar o último mês da gravidez e mais alguns meses depois do bb nascer rsrs Não passo por isso sem eles de forma alguma :) Mto obrigada pelo carinho, flor!! Bjuss

      Delete
  8. Eu tambem discordo do seu marido, voce nao eh mimada! Voce eh amada e bem cuidada... Familias no Brasil tem esse costume de fazer tudo junto, de ficarem todos juntos...
    Quando eu operei o olho estavamos tambem todos juntos... Tanto que todo mundo pegou conjuntivite comigo... hahahaha

    E eu sinto TANTA falta de te-los por perto!

    Espero de coração que sua recuperação esteja 100%

    ReplyDelete
    Replies
    1. Luana, é tudo uma questão de habito né?! Mto fofo a sua família inteira com conjutivite solidária rsrsrs Esse é o jeito que aprendemos, e só mostra que somos mto amadas :) Eu tbm sinto mta falta da minha família por aqui, por isso que preciso pelo menos falar com eles todos os dias!!! Mto obrigada pelo carinho!! Eu diria que estou quase 100%. Bjuss

      Delete
  9. Aline, espero que agora já estejas se sentindo melhor! De maneira alguma acho você mimada e devo admitir que fiquei emocionada ao ler que teus pais já estavam de pé no dia da tua cirugia preocupados. Tadinhos! Família é união, cumplicidade, amor e pelo que você descreveu sobre a dinâmica da tua família é isso o que vc sempre teve então agora que as coisas estão diferentes claro que vc tá sentindo! Mas enfim, espero que você melhore bem rapidinho! Beijocas!

    ReplyDelete
  10. Flor, seja bem vinda ao blog!! Eu finalmetne estou me sentindo quase 100%!! Mto obrigada!Bjuss

    ReplyDelete